Saúde garantida no Festival de Folclore

Uma equipe presta atendimento aos folcloristas

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Hospital São Vicente de Paulo faz parte da magia que envolve a cidade durante o XII Festival Internacional de Folclore de Passo Fundo, que iniciou no dia 15 de agosto. Os 12 diferentes países presentes nesse ano, Honduras, Cuba, Martinica, México, Moçambique, Rússia, África do Sul, Nepal, Argentina, Guatemala, Colômbia e Alemanha, podem contar com o apoio do HSVP, para atendê-los no Casarão da Cultura. Uma equipe de enfermagem que tem o suporte de um clínico médico da Secretaria Municipal de Saúde, prestam atendimento aos folcloristas, e se necessário, os encaminham para atendimento mais completo no HSVP.

No consultório montado ao lado dos camarins, Viviane Rocha, enfermeira do HSVP e professora da Escola de Educação Profissional São Vicente, conta que em média são realizados 12 atendimentos por turno, sendo que na maioria das vezes a causa são cefaleia (dor de cabeça), calos, pequenos ferimentos nos pés, entorses e escoriações. “Nós prestamos o primeiro atendimento e já damos a primeira medicação prescrita pelo médico. Caso aconteça algo mais grave, encaminhamos o folclorista para a emergência do HSVP. Felizmente até o momento, não registramos nenhum caso grave”.

A jovem Amy Orelhama, 16 anos, do Grupo Jhade Maya e Ballet Folkórico Raxela, da Guatemala, precisou de atendimento na tarde desta segunda-feira, 18 de agosto, devido a uma torção no joelho. Acompanhada da guia Jéssika Montovani, Amy recebeu atendimento, foi avaliada e medicada pela equipe. Jéssika enfatizou a importância de ter um atendimento para os folcloristas. Ela ressaltou que três integrantes do grupo da Guatemala já precisaram de atendimento e receberam os cuidados. “Fui bem atendida, muito bom poder contar com o atendimento aqui. Estava com dor no meu joelho e vim verificar o que aconteceu”, contou Amy, em uma mistura de espanhol e português.

 

Gostou? Compartilhe