Primavera deverá ser marcada pelo fenômeno La Niña

Estação começa às 10h31min desta terça-feira e chega ao Rio Grande do Sul acompanhada de temperaturas amenas

Por
· 2 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Os galhos de árvores que se curvam com o peso das flores anunciam a chegada de uma nova estação. A primavera começa às 10h31min desta terça-feira (22) e deverá ser marcada por chuvas abaixo da média histórica no Rio Grande do Sul. É o que aponta um novo prognóstico divulgado pela Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA), indicando quase 80% de chance de retorno do fenômeno La Niña a partir deste mês. No Sul do Brasil, o evento climático é conhecido por causar o aumento das temperaturas e a redução das precipitações.

Ao contrário do fenômeno El Niño, que representa o aquecimento anormal das águas superficiais do Oceano Pacífico Equatorial, o La Niña consiste na diminuição dessa temperatura. “Por alterar o padrão da circulação de atmosfera, o fenômeno acaba exercendo influência em várias partes do mundo. Aqui no Sul do Brasil, em anos de El Niño, temos chuvas acima do padrão, principalmente na primavera e até o outono. Em anos de La Niña, não é exatamente um espelho inverso, mas a tendência é chover menos que o normal”, explica o agrometeorologista e pesquisador da Embrapa Trigo, Gilberto Cunha.

A última vez em que o La Niña atuou com intensidade no país, ainda segundo o pesquisador, foi no ano de 2012. À época, o Rio Grande do Sul viveu um longo e intenso período de estiagem – em Passo Fundo, o nível de água na principal barragem do município chegou a ficar mais de 5 metros abaixo do normal. “O La Niña de 2020, que deverá marcar essa primavera, por enquanto, é considerado um evento de intensidade fraca, mas ele já sinaliza um padrão de chuvas abaixo da média, mesmo que não de estiagens prolongadas e severas. Isso configura um sinal de alerta, principalmente para a agricultura”, adianta Cunha. 

De acordo com o especialista, em anos de La Niña, a primavera tende a ser menos úmida, o que resulta em períodos mais favoráveis para o cultivo de inverno, como o trigo e a aveia, mas mais problemáticos para os cultivos de verão, como a soja e o milho. A previsão é de o que o fenômeno atue até o final do verão. Por este motivo, Cunha recomenda que os produtores tenham cautela e não criem expectativas de safras recordes, uma vez que o evento climático indica a previsão de diversos meses com chuvas irregulares.


Previsão do tempo

O primeiro dia de primavera em Passo Fundo deve ser de tempo firme. A expectativa do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) é de que esta terça-feira seja ensolarada, com temperatura mínima de 6°C e máxima de 21°C. Há possibilidade de geada no início da manhã. Na quarta-feira (23), de céu parcialmente nublado, a temperatura fica entre 10°C e 23°C. O clima deve continuar aquecendo na quinta-feira e chegar à máxima de 30°C na sexta. Ainda de acordo com a previsão, a chuva retorna somente no domingo.

Gostou? Compartilhe