Física no espaço: eclipse solar e alinhamento de Júpiter e Saturno acontecem neste mês

Curso de Física da UPF realizará a transmissão on-line dos eventos

Por
· 2 min de leitura
Eclipse do Sol ocorre na próxima segunda-feira, 14 (Foto: Divulgação)Eclipse do Sol ocorre na próxima segunda-feira, 14 (Foto: Divulgação)
Eclipse do Sol ocorre na próxima segunda-feira, 14 (Foto: Divulgação)
Você prefere ouvir essa matéria?

O final do ano de 2020 será marcado por dois importantes fenômenos astronômicos. Neste mês de dezembro, no dia 14, ocorre o eclipse total do Sol, e no dia 21, haverá o alinhamento entre Júpiter e Saturno, evento que não acontece há cerca de 800 anos, desde a Idade Média.

De acordo com o professor do curso de Física da Universidade de Passo Fundo (UPF), Dr. Alisson Cristian Giacomelli, o eclipse do Sol ocorre quando há um alinhamento entre o Sol, a Lua e a Terra, fazendo a Lua ficar entre o Sol e a Terra, cobrindo a imagem do Sol. “Este eclipse do Sol será total, que é quando a Lua encobre todo o disco solar. No entanto, ele só poderá ser visto na sua forma completa em algumas regiões do Chile e da Argentina. Na região Sul do Brasil, em outras regiões do país e em Passo Fundo, o eclipse poderá ser observado de forma parcial, que é quando a Lua encobre parte do disco solar”, relata o docente.

O fenômeno está marcado para acontecer entre 12h25 e 15h do dia 14 de dezembro. O ápice será entre 13h30 e 14h, momento em que a maior região do disco solar estará encoberta pela Lua. Segundo Giacomelli, o eclipse solar não pode ser observado a olho nu, devido ao fato de que olhar diretamente para o Sol pode causar danos permanentes na visão. Por isso, é necessário utilizar algum tipo de filtro, como os que são usados em máscaras de solda, considerados acessíveis e baratos.

“O eclipse solar é bem menos comum que o eclipse lunar pelo fato da região onde é projetada a sombra da Lua ser bem menor do que quando se tem a situação oposta”, complementa o professor.


Júpiter e Saturno alinhados

Além do eclipse do Sol, no dia 21 de dezembro, haverá um outro fenômeno astronômico raro, que não ocorre há cerca de 800 anos, desde a Idade Média: o alinhamento entre Júpiter e Saturno.

Conforme o professor do curso de Física da UPF, essa proximidade aparente acontece, pois cada planeta tem um período de órbita, ou seja, eles levam um certo tempo para dar uma volta completa na sua órbita em torno do Sol. “Cada planeta leva um tempo diferente, e em alguns momentos os planetas coincidem sua posição a partir de alguém que olhe da Terra”, disse Giacomelli.

O fenômeno acontecerá de 16 a 25 de dezembro, após o pôr do sol, sendo a data do dia 21 a de maior proximidade entre os planetas. “Com o telescópio, é possível gerar um aumento razoável nesses objetos, para conseguir ver os anéis, o Saturno e as principais luas de Júpiter, deixando os planetas no mesmo campo de visão do telescópio”, destaca o docente, lembrando que o evento pode ser observado a olho nu. “Nesse caso, os planetas parecerão um objeto só, um planeta duplo”, conta.


Curso de Física transmitirá o eclipse e o alinhamento dos planetas

De forma a oportunizar que a comunidade acompanhe ambos os fenômenos, o curso de Física realizará a transmissão deles pelo canal do Youtube Loucos da Física. No dia 14 de dezembro, o eclipse do Sol será transmitido a partir das 12h30. E no dia 21 de dezembro, o alinhamento entre Júpiter e Saturno poderá ser acompanhado às 20h, durante cerca de 30 a 40 minutos, já que o fenômeno ocorre em um ângulo baixo em relação ao horizonte, ficando pouco tempo visível à noite.

As atividades terão auxílio de um telescópio com câmera acoplada. Além disso, os professores do curso explicarão os eventos.

Ficou interessado nesses dois importantes fenômenos? Então não perca a chance de vê-los, pois o próximo eclipse solar será visível no Brasil em 2023, podendo ser observado só na região Norte, assim como o alinhamento dos planetas, previsto para acontecer novamente só em 2080.


Gostou? Compartilhe