Técnica reprodutiva permite nascimento programado de cordeiros na UPF

Atividade prática integra as ações das disciplinas de reprodução animal e é possível graças a estrutura do Centro de Extensão e Pesquisa Agropecuária da UPF

Por
· 1 min de leitura
Fotos: Camila Guedes/UPFFotos: Camila Guedes/UPF
Fotos: Camila Guedes/UPF
Você prefere ouvir essa matéria?

 Estudar a reprodução animal nos livros e poder acompanhar o processo na prática. Essa é a realidade dos acadêmicos do curso de Medicina Veterinária da Universidade de Passo Fundo (UPF). Na última semana, os estudantes puderam ver de perto o nascimento de cordeiros, fruto do trabalho de reprodução assistida desenvolvido dentro do Centro de Extensão e Pesquisa Agropecuária (Cepagro) da Universidade.

Os cordeiros recém-nascidos resultam de um trabalho diferente realizado com a participação de estudantes, residentes, estagiários e participantes de um curso de Inseminação por laparoscopia, organizado pelo professor Dr. Ricardo Zanella, com o apoio da empresa IMV.

De acordo com o diretor da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária (FAMV), professor Dr. Eraldo Zanella, que atua na área de reprodução, as fêmeas foram sincronizadas e no dia pré-determinado foram submetidas a inseminação artificial por laparoscopia. Ele explica que as ovelhas são poliestéricas estacionais de dia curto, ou seja, entram várias vezes no cio em uma estação do ano. 

Zanella salienta que a gestação de uma ovelha é de aproximadamente 150 dias. “Como tínhamos uma previsão da data de nascimento dos cordeiros, a maioria dos partos foi assistida por acadêmicos do curso de Medicina Veterinária, juntamente com o residente Marcio Flores, e acompanhados pelo professor Dr. Carlos Bondan”, observou.


De acordo com o diretor, os cordeiros que não conseguiram mamar, ou estavam fracos, foram levados para o Setor de Grandes Animais do Hospital Veterinário para que fossem dados os devidos cuidados. Ali, orientados pela médica veterinária Jemhally Hack, juntamente com os demais residentes do setor, os estagiários e acadêmicos conseguem dar uma atenção especial com a alimentação na mamadeira e ambiente aquecido, por exemplo.

Para a coordenadora do curso, professora Dra. Laura Rodrigues, a atividade demonstra o potencial do curso e da própria Universidade ao oferecer aos estudantes uma oportunidade prática. “A nossa estrutura, nosso diferencial, possibilita vivências práticas desde o primeiro nível, tendo contato seja por meio de estágios ou atividades executadas dentro das próprias disciplinas. Essas experiências permitem uma formação mais completa e ampla”.

Gostou? Compartilhe