Do repertório latino-americano à Música Popular Brasileira

Ricardo Pacheco realiza live com músicas que marcaram sua carreira / Por: Patrícia Carvalho, acadêmica de Jornalismo UPF, integrante do projeto Música Autoral

Por
· 1 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON
Você prefere ouvir essa matéria?

O cantor e compositor passo-fundense, Ricardo Pacheco, realizou na tarde de sábado (6/6), sua primeira live no Facebook, a fim de encontrar os fãs neste período de isolamento social. Na estrada há pelo menos 35 anos, Pacheco interagiu com o público, contou histórias para relembrar a carreira e mesclou músicas latino-americanas e MPB.

Ao som do violão, Pacheco interpretou canções  que foram referência para a própria carreira. No repertório, Belchior, Oswaldo Montenegro, João Bosco, Alegre Corrêa e Raul Boeira, Gilberto Gil, além de “A Primeira Pedra” de Pirisca Grecco e “Vila do Sossego” de Zé Ramalho. Ainda, mostrando fluência na língua espanhola, Pacheco cantou “Oración Del Remanso” de Jorge Fandermole e “Soy Pan, Soy Paz, Soy Más”, do compositor Piero. “Vamos lembrar um monte de coisa boa hoje, ainda mais neste momento baixo-astral que estamos vivendo”, comentou o cantor.

Durante duas horas de transmissão, Pacheco não esqueceu de agradecer o carinho do público que acompanhava a live. “Espero que tenham gostado, confesso que eu estava com uma saudade de cantar e poder tocar. Vamos tentar nos aproximar mais um pouco virtualmente e logo vamos poder nos encontrar”, disse. O cantor, que tem inspiração em uma legião de cantores e instrumentistas, já tem programação para as próximas transmissões ao vivo. Pacheco pretende fazer uma live de tributo a Zé Ramalho e outra exclusiva a Mercedes Sosa.

A diversidade musical que Pacheco leva em sua bagagem é fruto de suas andanças, desde os 15 anos de idade. A aproximação com a música latino-americana, um dos estilos mais marcantes em seus shows, veio na sequência. O cantor participou de um grupo de músicos argentinos e já viajou a Bariloche e ao nordeste brasileiro, interpretando versões de clássicos argentinos. Mas Passo Fundo,  ainda tem um lugar especial nas lembranças do cantor. Foi aqui que Pacheco se apresentou em diferentes bares noturnos da época e também fez parte do conjunto de baile Inovação.

Gostou? Compartilhe