Documentário sobre Tarso de Castro tem pré-estreia em Passo Fundo

Sessão exclusiva de ?EURoeA Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro?EUR?, com a presença dos diretores do longa-metragem, acontece nesta segunda-feira (21), às 21h

Escrito por
,
em
Documentário revive, por meio da trajetória do jornalista, a história de um país embriagado pela ditadura e pela censura, onde o sonho de democracia nascia de uma geração libertária

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O longa-metragem “A Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro” terá pré-estreia na terra natal do jornalista, Passo Fundo, nesta segunda-feira (21). A sessão ocorre no cinema do Bella Città Shopping Center, às 21h, com a presença dos diretores Leo Garcia e Zeca Brito. A entrada é gratuita, sujeita à lotação da sala.


O documentário, exibido no Festival de Cinema do Rio 2017 e na 41ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, tem estreia oficial marcada para o dia 24 de maio e revive, por meio da trajetória de Tarso, a história do Brasil dos anos 60, 70 e 80 e da geração de intelectuais que resistiram à ditadura militar e promoveram uma verdadeira revolução nos costumes e na cultura brasileira. Para compor a narrativa, entre os entrevistados estão o cartunista Jaguar, o jornalista Sérgio Cabral e o filho de Tarso, João Vicente de Castro, além de outros companheiros do jornalista, como Paulo César Pereio, Caetano Veloso, Antônio Pedro, Nelson Motta, Roberto D’Avila, Bárbara Oppenheimer, Paulo Caruso e Gilda Midani.


Um dos maiores jornalistas do país
Boêmio. Provocador. Sedutor. Revolucionário. Além de idealizador do “Pasquim”, Tarso de Castro foi um dos maiores jornalistas do Brasil. Ao investigar sua vida, vem à tona a história de um país embriagado pela ditadura e pela censura, onde o sonho de democracia nascia de uma geração libertária. “O Tarso foi um personagem fascinante e muito complexo. E nunca foi tão urgente falar e discutir sobre jornalismo como hoje. Muita gente se esforçou para tentar apagar o Tarso da história (e isso é abordado no nosso filme), então espero que ele seja redescoberto, principalmente por parte das novas gerações. Tentamos fazer jus ao nosso personagem, realizando um documentário que aborda temas sérios, mas de uma maneira bem despojada e engraçada – no melhor estilo Tarso de Castro”, afirma o diretor e roteirista Leo Garcia.


Idealizador do jornal Pasquim e do caderno Folhetim da Folha de S.Paulo, Tarso de Castro foi um dos mais importantes e polêmicos jornalistas do Brasil. Como bem definiu Otto Lara Resende, Tarso traçou um verdadeiro pacto de felicidade com a vida e pagou o preço dos prazeres excessivos – era alcoólatra, não admitia se tratar e morreu de cirrose hepática aos 49 anos de idade, em 1991.


Além dos amigos já citados, Tarso conviveu e influenciou personalidades como Glauber Rocha, Tom Jobim, Leila Diniz, Paulo Francis, Samuel Wainer, Luiz Carlos Maciel, Sérgio Porto, Hugo Carvana, Leonel Brizola, João Ubaldo Ribeiro e Sérgio Buarque de Holanda. "Tarso fez de sua vida uma instigante narrativa de paixões. Revolucionário e transgressor, mudou a imprensa brasileira vivendo intensamente o ofício de jornalista”, complementa Zeca Brito, diretor e roteirista do longa assinado pelas produtoras Coelho Voador, Epifania Filmes, Anti Filmes e Boulevard Filmes, com coprodução do Canal Brasil e distribuição da Boulevard Filmes.

Gostou? Compartilhe