Coluna: Deus não existe

Por Pablo Morenno

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O título desta crônica não é meu, mas de Madre Teresa de Calcutá. Essa afirmação e outras declarações de dúvida quanto à sua fé estão no livro "Mother Teresa: Come Be My Light" ("Madre Teresa: venha ser a minha luz", em livre tradução do inglês) lançado em 2007  pela Doubleday, nos Estados Unidos.

Se Madre Teresa,- defensora dos pobres e que entregou sua vida por Deus- teve suas dúvidas quanto à existência dEle, imagina nós reles mortais. Pobre dessa assessora de imprensa da Câmara de Vereadores de Antônio Prado, ameaçada com exoneração por se declarar descrente. 

"Numa cidade onde todos nós fomos eleitos com mais de 98% dos votos, a maioria tem uma religião e acredita em Deus, eu acredito que não pega bem e acho que é muito errado pronunciar-se contra Deus. (...) Eu peço a exoneração da Assessora de Imprensa e a troca urgente, porque a Câmara de Vereadores e a cidade deAntônio Prado é uma cidade de fé" (Vereador Dotti). O episódio teve repercussão na imprensa de todo o país, foi parar em diversos blogs da Internet,  alimentou intensas discussões nas redes sociais.

Se Deus expulsou os desobedientes do paraíso, um crente tem dever de expulsar os hereges. Quem se atreve a confrontar um arauto  do Todo-Poderoso, um profeta do Altíssimo, um longa-manus da Trindade?

Essas atitudes fundamentalistas assolando estes tempos se deve ao medo dos ateus. (Lembram dos comunistas que comiam criancinhas?) Como se a religião, por si só, transformasse um sujeito em homem bom. A história provou que muitas maldades foram cometidas em nome de Deus. Sou cristão, mas não acredito ser necessário ser crente para ter ética. A humanidade será decente apenas quanto “amar ao próximo como a si mesmo” seja vivido não por medo do inferno, mas por convencimento intrínseco. “Se alguém precisa de religião para ser bom, a pessoa não é boa, é um cão adestrado”. - Chagdud Tulku Rinpoche .

Sempre foi muito simples para a sociedade abraçar uma visão maniqueísta do mundo. As coisas são simples: há Deus de um lado, o Diabo de outro. Quem não está comigo, está contra mim. Todos os povos acham que Deus está do lado deles. Não foi apenas Israel. O Islã tem um deus do seu lado, as tribos africanas têm deuses cada uma. Até os times de futebol tem um Deus só para si.

As coisas são simples. Como dizem uns e outros por aí,  Deus tem poder e concede poder a seus aliados. Os que se acham do lado de Deus estão investidos para acabar com os outros, tidos como inimigos. Se tenho Deus do meu lado, também sou poderoso, onipotente, onisciente. Algum cartório confere a assinatura de Deus nessa procuração anunciada?

Concordo com Madre Teresa. Deus não existe.  Não acredito nesse Deus que tem lado, que destrói os outros para mostrar que tem razão, um Deus que não respeita o direito da dúvida, um Deus que tem medo dos que não creem. Um Deus assim, - preconceituoso, medroso,  volúvel e mau, - não faz falta.

Gostou? Compartilhe