Pai de Feiurinha

Pedro Bandeira, autor de O Fantástico Mistério de Feiurinha, vem a Passo Fundo para um bate-papo com as escolas da cidade

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Aos 72 anos, ele não quer descansar. Autor de literatura infantil mais vendido no Brasil, Pedro Bandeira carrega consigo uma infinidade de títulos produzidos e prêmios recebidos. Começou a se dedicar às páginas em 1972 e, desde então, não parou. Com mais de 80 livros escritos, o autor chega a Passo Fundo no dia 20 para uma palestra com professores e bate-papo com alunos da rede pública.

Ainda que escreva desde 72, foi em 1984, com A Droga da Obediência que os adolescentes olharam, de fato, para Pedro. Parte da coleção Os Karas, o livro aborda a alienação da juventude e como ela pode ser dominada por diferentes formas de poder. Ainda que seja um tema pesado, o autor trabalha de forma leve e apelando para a ficção, o que permite que o assunto - atual ainda hoje - seja refletido e discutido entre os jovens. Em entrevista a Revista Todateen, o autor comenta que o fato de o livro ter sido escrito antes das possibilidades tecnológicos é o que garante o seu sucesso: “As crianças de hoje leem coisas , aventuras de pessoas que usam telefone público com fichinhas de metal que não existem mais! E eles adoram! Ninguém liga um computador e isso não é problema para eles. E eu acho que isso acontece porque  os meus livros tratam das emoções humanas. A literatura tem que tratar de emoções humanas, não de tecnologias. A tecnologia vence, mas as emoções humanas são sempre as mesmas.”

Falando da juventude para a juventude, Pedro Bandeira é o autor, também, de O Fantástico Mistério de Feiurinha escrito em 1986 e adaptado para os cinemas - com Xuxa e Sasha - em 2009. Feiurinha, a princesa da história, desaparece. O seu sumiço faz com que todas as princesas dos contos de fadas se reúnam. O livro aborda as diferenças dos personagens, a rivalidade entre eles e, por vezes, seu egoísmo. Trata, acima de tudo, como as diferenças são diminuídas quando o objetivo é único. Além desses títulos, Pedro também arrecadou sucessos com “Mais respeito eu sou criança”, “Alice no País da Mentira” e “Descanse em paz, meu amor”.

Todos os títulos tratam, de alguma forma, a união dos jovens em prol de algo. Pedro destaca que existem ferramentas, hoje, para que o jovem seja o agente da mudança. Seus livros são o retrato disso: “O mundo mudou pouco para melhor. A única coisa é que não temos guerra há 70 anos. Essa é a única coisa que melhorou. Eu espero que eles (os jovens) encontrem essas ferramentas para um mundo de paz, um mundo justo. Mas em meus livros, os personagens são sempre éticos, justos, como o meu leitor quer ser”, explica.

Além de autor, Pedro Bandeira é especialista em letramento e técnicas especiais de leitura e, justamente por isso, viaja o país para falar a professores e alunos sobre a importância da literatura. Em sua palestra, o autor aborda o histórico das origens das dificuldades educacionais do Brasil, apresenta uma didática de recuperação e aceleração dos problemas mais graves de acesso à compreensão leitora e dá dicas simples para recuperação de alunos desde o início até o término do Ensino Fundamental. Num primeiro momento, às 10h, a palestra é destinada aos professores de Educação Infantil, Ensino Médio e de Língua Portuguesa. Mais tarde, às 15h, Pedro conversa com os alunos da rede pública.

Pedro Bandeira em Passo Fundo
20 de maio, Teatro do Sesc
10h: palestra voltada à Professores da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Professores de Português
15h: bate papo com alunos da rede pública
Ingressos:  Entrada franca mediante agendamento Sesc Cultura 54 3313-4318

Gostou? Compartilhe