Jornada Nacional de Literatura é adiada para março de 2020

Dificuldade na captação de recursos determinou decisão.Comunicado foi divulgado na manhã de ontem (15)

Por
· 2 min de leitura
Assim como na edição de 2015, dificuldades econômicas forçaram o adiamento das Jornadas LiteráriasAssim como na edição de 2015, dificuldades econômicas forçaram o adiamento das Jornadas Literárias
Assim como na edição de 2015, dificuldades econômicas forçaram o adiamento das Jornadas Literárias

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A 17ª edição da Jornada Nacional de Literatura e a 9ª Jornadinha Nacional de Literatura, previstas para acontecer entre os dias 30 de setembro a 4 de outubro deste ano, foram postergadas para março de 2020. A nova data foi anunciada na manhã de segunda-feira (15), através de um comunicado conjunto emitido pela Universidade de Passo Fundo (UPF) e pela Prefeitura Municipal de Passo Fundo. Em nota, as entidades promotoras das movimentações literárias alegaram “restrições de investimento” para viabilizar as atividades culturais ainda neste ano, conforme previsto pela organização. “A Jornada não é um evento, é um projeto. E como tal, houve a necessidade de reorganizar o cronograma em função de uma série de fatores, entre eles a crise financeira e orçamentária muito grande”, explicou um dos coordenadores das Jornadas Literárias, Miguel Rettenmeier. Desde 2017, ele trabalha junto à professora Fabiane Verardi frente às demandas do projeto. Embora seja de pretensão a abertura das lonas para o encontro entre leitores e escritores ainda no primeiro semestre de 2020, “a realização depende da autorização do governo federal para que os recursos liberados via Ministério da Cidadania possam ser utilizados no ano que vem”, antecipa a nota. Em abril, Rettenmeier já manifestava preocupação em relação aos prazos que garantiriam a edição em setembro. Mesmo com o atraso na publicação da portaria de autorização para captar recursos via Lei Rouanet e a mudança no teto da legislação de incentivo à cultura, ele afirmou, à época ao jornal O Nacional, que, embora o orçamento estivesse previsto dentro das novas normativas federais, a demora no sistema para cadastramento do projeto poderia impactar no tempo hábil para realizar o pretendido pela equipe organizadora. Agora, com o adiamento da Jornada Nacional de Literatura e da Jornadinha Nacional de Literatura, e evitando falar sobre cifras, segundo Rettenmeier, o projeto cultural adentra um “novo ano fiscal” com novos orçamentos, ainda a serem definidos. ,,

Capital Nacional da Literatura sem Jornada, mas Jornalizada

Diferente da edição anterior, em que as lonas da Jornada sustentaram o peso literário de Clarice Lispector, Carlos Drummond de Andrade, Ariano Suassuna e Moacyr Scliar; para a 17ª movimentação literária, quatro eixos temáticos em aberto serão trabalhados durante os dias e noites previstos na programação, conforme afirmou Miguel: diversidade, conexões, liberdade e futuro devem nortear as conversas entre os diferentes atores que integram o evento. Com as datas transferidas em um semestre, o coordenador assegura que a equipe responsável pelas Jornadas Literárias já iniciou os contatos com os autores previstos para todos os painéis, na mesma tarde em que o comunicado tornou-se público. Entre os intelectuais contemporâneos mencionados na relação de participantes, estão os escritores Felipe Pena, Bruna Lombardi e Tiago Ferro. As atividades junto às comunidades local e regional, como enfatizou Rettenmeier, terão continuidade no segundo semestre desse ano. “Quando eu e a Fabiane assumimos a coordenação, sabíamos que, apesar de não termos muito em termos de orçamento, tínhamos recursos humanos. A Jornada só acontece com a participação de professores, alunos e comunidade. Por isso, o projeto de formação dos agentes de leitura continua, através da Jornalização; assim como o 'Jornalendo', em outras localidades de competência das Coordenadorias Regionais de Educação (CREs)”, lembrou.

Prêmio Literário

 Na segunda edição, o Prêmio Literário Cidade de Passo Fundo encerrou as inscrições para as categorias de romance, poesia, conto e crônica na mesma segunda-feira em que o anúncio do adiamento da Jornada foi formalizado. Os finalistas do concurso literário, via de regra, seriam conhecidos durante as movimentações literárias, entre os meses de setembro e outubro, e os vencedores anunciados no decorrer da Feira do Livro. O secretário municipal de Cultura de Passo Fundo, Henrique Fonseca, confirmou reunir-se com a coordenação da Jornada de Literatura para abordar os métodos a serem empregados na competição intelectual. “Registramos mais de 15 inscritos no Prêmio Literário e esperamos ter uma definição de como proceder ainda na terça-feira (16)”, revelou.

Gostou? Compartilhe