Tarifa branca é opção para economizar na conta de luz

Para garantir a economia no bolso, neste modelo, o usuário deve evitar consumir energia elétrica em horários de pico

Por
· 3 min de leitura
Sistema está disponível para consumidores abaixo de 250 quilowatts-hora desde 1º de janeiro deste anoSistema está disponível para consumidores abaixo de 250 quilowatts-hora desde 1º de janeiro deste ano
Sistema está disponível para consumidores abaixo de 250 quilowatts-hora desde 1º de janeiro deste ano
Você prefere ouvir essa matéria?

Consumidores de energia elétrica dispostos a mudar de hábitos podem diminuir a conta de luz. É que neste mês a tarifa branca, em vigor desde 2018, foi estendida a quase todos os brasileiros. O modelo, regulamentado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) em 2016, estipula preços variáveis em diferentes horários e dias da semana, conforme os períodos de ponta de cada distribuidora. 

O sistema consiste na redução do preço da energia fora do horário de pico, também chamado de horário de ponta. Em dias úteis, a cobrança sofre variações a partir de três faixas de horário. O horário de ponta (tarifa vermelha), mais caro, é entre o fim da tarde e o início da noite. A faixa intermediária (tarifa amarela) é estabelecida uma hora antes e uma depois do horário de pico. Por fim, nos demais horários, a tarifa cobrada é a verde, aquela que tem um custo mais baixo.
Para garantir a economia no bolso, neste modelo, o usuário deve evitar consumir energia elétrica em horários de pico. Porém, caso o cliente opte pela tarifa branca e não preste atenção aos horários pode acabar pagando mais pela luz. Isso porque quem opta pela alternativa paga um valor maior pelo consumo nas horas em que normalmente há um pico na demanda da sua região.
Nas áreas atendidas pela RGE, como é o caso de Passo Fundo, o horário de ponta é das 18h às 20h59. Já o posto tarifário intermediário das 16h às 17h59 e das 21h às 21h59. Nos fins de semana e nos feriados nacionais, a tarifa de energia sempre será cobrada pelo valor fora de ponta.
A adesão à tarifa branca é voluntária e vale para residências, comércios, indústrias, unidades do poder público ou rurais, com exceção dos clientes classificados como baixa renda e iluminação pública.
Como migrar
Os interessados no modelo devem entrar em contato com a RGE, por meio de seus canais digitais ou agências de atendimento. Uma vez confirmada a opção, a companhia irá efetuar a troca do medidor antigo do cliente por um novo equipamento capaz de tarifar a energia por horário. A conta de luz enviada ao cliente passará, então, a detalhar as informações do consumo em cada um dos três horários e os respectivos valores. Não há custos para a instalação do novo medidor. Para quem já está conectado na rede, o prazo de adesão é de 30 dias e para as novas instalações, de cinco dias úteis.
Os consumidores poderão voltar a qualquer momento à tarifa convencional sem pagamento de multa, sendo que a distribuidora tem 30 dias para fazer a alteração. Assim como a tarifa convencional, a Tarifa Branca é reajustada anualmente pela ANEEL, na data-base de reajuste da concessionária. Os clientes que aderirem ao novo modelo continuarão arcando normalmente com os custos das bandeiras tarifárias definidas pelo regulador.
Orientações
A RGE reforça que, antes de optar pela alternativa, o interessado precisa analisar o seu perfil de consumo e avaliar se consegue adaptar seus hábitos de uso da energia para aproveitar os períodos fora de pico, de forma a evitar que a opção resulte em um aumento na conta de luz ao final do mês. O objetivo da medida é tornar a população mais consciente sobre a utilização de energia, promovendo o uso racional.
Sobre a tarifa branca
O modelo, regulamentado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) em 2016, estipula preços variáveis para a energia elétrica utilizada em diferentes horários e dias da semana, conforme os períodos de ponta de cada distribuidora. A tarifa branca passou a ser usada em 2018, para unidades com consumo superior a 500 quilowatts-hora (kWh). Em 2019, passou a ser aplicado em unidades com consumo a partir de 250 kWh. A mudança não valerá apenas para unidades residenciais consumidoras da subclasse de baixa renda, atualmente tarifadas em condições vantajosas. Esse modelo de tarifação é aplicado em países como Canadá, Austrália, Itália, França e Reino Unido.


(BOXX)
Pela tarifa branca
Dias úteis
Horário de ponta – 18h às 20h59
Intermediários – 16h às 17h59 e 21h às 21h59

Serviços Digitais
A RGE oferece vários serviços online. Conheça o site ou baixe o aplicativo da CPFL Energia:
- Falta de Energia: Envie um SMS com o SEU CODIGO (que consta na conta de energia elétrica) para o número 27350.
- Aplicativo CPFL Energia (disponível gratuitamente para download em celulares e tablets com sistemas operacionais Android, iOS e Windows Phone).
- Agência Digital: http://www.rge-rs.com.br/

 

Gostou? Compartilhe