Restaurantes e shopping centers retomam as atividades

Mantida sob a classificação de bandeira laranja, Passo Fundo autorizou a reabertura dos estabelecimentos a partir de novos decretos municipais

Por
· 4 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Após dois meses com as portas fechadas para atendimento ao público, respeitando as medidas de enfrentamento à pandemia do coronavírus em Passo Fundo, restaurantes, shoppings e academias retomaram as atividades presenciais nessa segunda-feira (25). A autorização para reabertura aconteceu no último fim de semana, após avaliação do governador Eduardo Leite, que manteve a região de Passo Fundo sob a classificação de bandeira laranja no plano de distanciamento social controlado adotado pelo Estado. As regras para retomada dos setores estabelecem determinações como a limitação de horário e de público.

Apesar da volta às atividades ser vista como uma vitória para o setor, as expectativas em relação ao faturamento ainda são poucos otimistas. Proprietário de um restaurante instalado no Centro de Passo Fundo, Leonardo Grando reorganizou a estrutura do estabelecimento para se adequar ao decreto municipal e poder voltar a abrir as portas na manhã de ontem – as medidas incluem a redução do número de mesas para 50% da capacidade máxima do espaço. A preocupação, no entanto, não diz respeito simplesmente a cumprir o que está previsto no decreto e, sim, a como se dará o comportamento dos consumidores. Grando teme que, a exemplo do que diz ter observado em Porto Alegre, os restaurantes voltem a fechar as portas por falta de clientes. Ele conta que, enquanto a abertura do setor estava vedada, chegou a fazer a adequação do restaurante onde é proprietário para efetuar a venda de marmitex, mas o faturamento não passou dos 20% e refletiu-se em uma diminuição de 50% do salário dos funcionários.

O presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (SHRBS) de Passo Fundo, Leo Duro, concorda que o cenário não é favorável para o setor. “Os dados que eu tenho de outros municípios gaúchos que tiveram a reabertura não são promissores. Porto Alegre teve um movimento bom no início, mas a realidade já está se mostrando e os restaurantes começaram a sentir uma redução. Já estou informando aos empresários que não tenham expectativas altas para não acabarem se decepcionando. Temos que ter noção de que estamos passando por uma crise e que muitos setores foram atingidos. A disponibilidade financeira de muitos dos clientes não é a mesma de antes. Isso já é um fator que reduz o movimento, além do medo da população, por mais que todas as medidas estejam sendo tomadas pelos estabelecimentos se adequando da forma correta”, explica. Duro também disse estar preocupado com a possibilidade de novas demissões dentro do setor, caso haja uma queda acentuada no fluxo de vendas durante esse momento de retomada.

Além de estabelecer uma capacidade máxima de atendimento ao público, o decreto municipal que trata das regras para os restaurantes exige distanciamento de dois metros entre as mesas, uso de máscara de proteção por trabalhadores e frequentadores, práticas de higienização e, ainda, veda qualquer tipo de rodízio. O serviço de buffet deve ter uma proteção física no local dos alimentos, sem acesso pelos clientes. O presidente do SHRBS observa que, por um possível equívoco, o decreto municipal publicado no fim de semana não estabeleceu um horário de funcionamento para os restaurantes. O sindicato solicitou que esse ponto seja revisado e incluído no documento.

Bares permanecem fechados

Os bares continuam de fora do calendário de retomada, podendo funcionar apenas aqueles que trabalham como restaurantes. Por outro lado, segundo o presidente do sindicato que representa empresários do setor, a expectativa é de que a situação dos bares tome novos rumos caso Passo Fundo passe a ser classificada com a bandeira amarela na próxima semana. “Essa é uma expectativa concreta, com base nas novas normas técnicas de avaliação das bandeiras para cada área do Estado. O cálculo vai ser flexibilizado, de acordo com o que o governador [Eduardo Leite] nos passou. Baixando para amarela, fica mais próxima a possibilidade de reabertura. Por enquanto, para os bares a situação é bem complicada”, analisa Duro.

Shopping centers

Os shopping centers também retomaram as operações em Passo Fundo nessa segunda-feira. Conforme o estabelecido pelo Município, eles devem atender em horário reduzido, das 12h às 18h, com limite de funcionários e clientes em cada loja, a exemplo dos comerciantes de rua. A limitação é de 25% da capacidade de atendimento. Segue vedada a abertura de brinquedotecas ou qualquer ambiente não comercial que cause aglomeração de pessoas.

O Bella Città, um dos shoppings centers localizados em Passo Fundo, retomou o funcionamento cumprindo a redução de horário e estabeleceu um horário preferencial para idosos: das 14h às 15h. Segundo a assessoria de imprensa do empreendimento, a capacidade do shopping foi reduzida a 25%, sendo possível o acesso de 701 pessoas. Voltarão a funcionar as lojas e a praça de alimentação, já o cinema e espaços de entretenimento permanecem fechados, neste primeiro momento. O acesso ao shopping pode ser feito pela Avenida Brasil e Coronel Chicuta, para quem estiver a pé. Quem estiver de carro, pode acessar o estacionamento subsolo, com entrada pela Avenida Sete de Setembro. 

O Passo Fundo Shopping também reforçou suas medidas de saúde e higienização e retomou as atividades a partir de ontem. O funcionamento no momento será de segunda a domingo, das 12h às 18h. De acordo com a assessoria, o shopping passou por uma higienização total e foram implementadas medidas de segurança, como o controle de público limitado a 25% (1786 pessoas) da sua capacidade máxima, a instalação de tapetes sanitizadores e aferição da temperatura nas entradas abertas (Av. Presidente Vargas e as duas do térreo). O mobiliário da Praça de Alimentação também foi reduzido e é higienizado com desinfetante hospitalar a cada utilização pelos clientes. Cinema, áreas kids e lounges de convivência permanecem fechados e estão suspensos os serviços de empréstimo de carrinhos de bebê e carrinhos pet.

O que permanece fechado
O calendário apresentado pela Prefeitura de Passo Fundo e avaliado pelo Comitê de Orientações Emergenciais, continua vedada a abertura e o funcionamento de: teatros, museus, centros culturais, bibliotecas e cinemas; exposições públicas ou privadas e congressos e seminários; casas noturnas, pubs ou similares; clubes sociais e de serviços; entidades tradicionalistas, entidades de representação sindical ou de categorias; brinquedotecas, espaços kids, playgrounds, espaços de jogos; feiras públicas de qualquer natureza. Os parques da cidade seguem fechados e a orientação é de que as pessoas não se aglomerem em espaços públicos como praças, caminhódromo e ciclovia.



Gostou? Compartilhe