Criatividade para garantir presentes

Supermercados gaúchos projetam aumento de 8% nas vendas, mas nem todo mundo pretende dar chocolates ou doces nesta data

Escrito por
,
em
Artista plástica produz ovos de cerâmica para vender e também presentear amigos e familiares

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A estimativa dos supermercados gaúchos é de vender, pelo menos, 8% a mais nesta Páscoa, em relação ao ano passado, conforme estudo desenvolvido pela Associação Gaúcha de Supermercados (Agas). A readequação de produtos buscando oferecer itens de menor valor é uma das medidas que foi adotada nos últimos anos para garantir a venda. Mesmo assim, o valor dos ovos de chocolate, geralmente, é mais elevado em relação ao mesmo doce em outros formatos. Para não deixar a data passar em branco, a criatividade entra em jogo, mas não só ela. Com uma dose de matemática é possível se programar e garantir um bom presente aos pequenos.


A mãe Cinara Dagneze criou uma forma de presentear os dois filhos bastante criativa. Tudo começou no Natal de 2016, quando os dois decidiram que queriam um computador com configurações específicas para jogos, que acabam saindo mais caro do que um computador para uso comum. “Ponderei com eles que o valor era alto, mas que se guardássemos dinheiro conseguiríamos”, introduz. O combinado foi de que ao invés de ganharem presentes nas datas como Natal, Páscoa, aniversário e Dia das Crianças, ele ganhariam um valor em dinheiro que seria guardado em um cofre. Empolgados com a soma a cada data, eles também passaram a pedir para que padrinhos, e avós, por exemplo, contribuíssem com o caixinha para o computador. “E isso fez com que eles guardassem dinheiro em outros momentos. Quando ganhavam algum valor, reservavam para ‘o computador’”, conta a mãe.


A ideia deu tão certo que, no final do ano de 2017, conseguiram comprar o computador que tanto queriam. Para este ano, eles já decidiram que serão presenteados da mesma forma. Eles ainda não têm um item especificado até o momento, mas a mãe conta que os eletrônicos estão no topo da lista. “Entre os desejos, estão um videogame melhor ou mesmo um skate elétrico (hoverboard)”, antecipa. Para ela, o método foi a melhor decisão tomada em relação a presentes. “Esse valor que, ao final do ano, nos possibilitou a compra de um bom presente poderia ter sido diluído, durante esse período, em vários pequenos itens, que certamente não teriam a mesma importância. E, se isso é válido para comemorações como aniversário e dia das crianças, na Páscoa, é ainda mais expressivo. O chocolate, na forma de ovo de Páscoa, tem um preço surreal, que não condiz com a realidade que vivemos. Então, substituir esse gasto por algo que será efetivamente aproveitado é muito positivo”, avalia.


Tentativas da indústria
O estudo divulgado pela Agas mostra que neste ano as parreiras de ovos apresentam menor tamanho, com menos chocolates grandes e com versões mais baratas. Os supermercados são tradicionalmente líderes na comercialização de chocolates no período de Páscoa, e a expectativa de 8% de crescimento se dá, também, pela base ruim da data em 2017 – quando a comercialização de ovos caiu 12%. Ao todo, os supermercados do Estado deverão comercializar 6,8 milhões de ovos de chocolate até o dia 1º de abril, domingo de comemorações da festividade.


Com relação aos preços, a pesquisa aponta que o valor médio dos produtos típicos de Páscoa está 5,9% superior ao ano passado. Mesmo que as barras e bombons ganhem espaço, os ovos de chocolate ainda serão preferência para os consumidores gaúchos nesta Páscoa, indica o estudo. Com relação à procedência dos chocolates vendidos pelos supermercados do Estado, 73% deverão ser oriundos da indústria brasileira (outros estados), 20% de fabricantes gaúchas e 7% de chocolates importados.


Segunda data em vendas
O estudo mostra ainda que Páscoa é a segunda melhor data em vendas para o setor, atrás apenas das festas de fim de ano, e a venda de itens específicos para a data festiva vai representar 11% do faturamento de março nos supermercados. A pesquisa da Agas mostra que apenas 11% dos varejistas ouvidos pretendem contratar temporários para a Páscoa – 90% dos cerca de 1,1 mil empregos temporários criados no RS serão de vagas na indústria, em cargos como operador de logística, montador, promotor de vendas e estoquista.


Ao todo, os supermercados do RS vão comercializar cerca de 6,8 milhões de ovos de chocolate, que deverão alavancar um faturamento de R$ 129 milhões para o setor. Entre os bombons, a estimativa da Agas é de que pelo menos 6,1 milhões de caixas sejam comercializadas para a data, agregando ao faturamento do setor mais R$ 37 milhões.


Aproveitando o talento
Outra alternativa para presentear na Páscoa e fugir dos ovos de chocolate é utilizar o próprio talento. A artista plástica Lisete Senger de Carazinho trabalha com peças em cerâmica e há 20 anos produz ovos de cerâmica para comemorar a data. Além de vender as peças, ela aproveita o talento para presentear familiares e amigos. Alguns ovos maiores podem ser usado como embalagens para outros presentes. Além disso, o presente de um ano pode ser usado na decoração no ano seguinte. “Existem muitas pessoas que não presenteiam com chocolates e buscam algo diferente, que seja permanente”, explica sobre a origem da ideia. Todo ano ela desenvolve peças diferentes. “Normalmente, quem ganha volta e presenteia outras pessoas”, completa.

Gostou? Compartilhe