Fiesp aponta queda no indicador de nível de atividade da indústria

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O recuo nas vendas impulsionou uma queda de 10,2% no Indicador de Nível de Atividade (INA) em maio, comparado a abril. O índice é medido pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp).

 

O item que mais teve queda foi a Variável de Vendas Reais, que caiu 16% no mês, seguido por Horas Trabalhadas na Produção, com queda de 2,3%. O Nível de Utilização da Capacidade Instalada caiu 1,8%.

 

Mesmo com a queda, o INA mantém um índice positivo de 3,6% em relação ao mesmo período de 2017. De acordo com o presidente em exercício da Fiesp e Ciesp, José Ricardo Roriz Coelho, a greve dos caminhoneiros agravou uma recuperação que já vinha em ritmo lento.

 

"Os resultados de 2018 já vinham bem abaixo do que imaginávamos quando fizemos as projeções em 2017. A greve dos caminhoneiros tornou mais grave a preocupação de crescimento ao longo do ano. Para os próximos três meses, não vemos nenhuma chance de recuperação da atividade da indústria. Provavelmente, vamos ter uma situação pior do que a do primeiro trimestre de 2018", ressaltou o presidente, em nota divulgada.

 

O setor da metalurgia básica apresentou a maior queda de atividade, registrando -18,3% em maio. O setor de veículos automotores também recuou -16,2% no mês.

Gostou? Compartilhe