Inverno tem previsões otimistas para a agricultura

Estação começa neste sábado com máxima de 23 graus

Escrito por
,
em
Divulgação/ON

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Neste sábado (20), às 18h44, começa o inverno de 2020. A previsão é de um início de estação com muitas nuvens, temperatura mínima de 18ºC e máxima de 23º, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). O domingo e a segunda devem seguir com temperaturas semelhantes e com a presença do  sol. 

O inverno chega após um período de estiagem e de um final de outono com chuvas insuficientes para repor os reservatórios de água. No entanto, a estação é vista com otimismo pelo pesquisador da Embrapa Trigo Gilberto Cunha. “O inverno de 2020 não será muito diferente de tantos outros invernos”, afirma em um vídeo encaminhado pela Embrapa. A região Sul do Brasil terá dias de temperaturas extremamente baixas e dias de temperaturas próximas aos 30ºC, dependendo da massa de ar que estiver atuando. Nas regiões da Serra, pode ocorrer  neve.

“Não temos nem El Niño nem La Niña no horizonte dos próximos meses, assim a expectativa é que nós tenhamos chuvas ao redor do chamado padrão climático normal, que siginifica as precipitações aumentando gradativamente acima de 100mm mensalmente até atingir seu pico máximo na primavera, nos meses de setembro e outubro, que é quando mais chove aqui no sul”, explica Cunha.

Em alguns dias, após chuvas e passagens de frentes frias, costuma entrar massas de ar polar “extremamente frias e consequentemente as temperaturas baixam muito, podendo haver a formação de geadas”, analisa o pesquisador. 

Agricultura

Sem a expectativa do El Niño, que está associado a temperaturas mais elevadas e  excesso de umidade, as perspectivas são otimistas para a agricultura, especialmente para os cultivos de inverno, como trigo, cevada e aveia. “A expectativa é de uma condição climática que venha a favorecer, tanto o potencial de rendimento, quanto a qualidade do produto colhido”, diz Cunha. 

Para a primavera a previsão se divide entre as probabilidades de condições neutras ou de um evento La Niña. “Portanto, não há projeção de volta de El Niño,  o que significa, especialmente, uma primavera menos úmida, uma condição de temperaturas médias mais baixas”, explica o especialista. Esses fatores indicam “uma condição climática que se mostra de antemão bastante promissora para os cultivos de inverno”.

Abastecimento

Ainda existe a preocupação com a recuperação dos mananciais hídricos, como açudes e barragens. “Os reservatórios que ainda não se recuperaram plenamente, apesar das chuvas no final do outono terem sido bastante regulares e abundantes em todo o sul do Brasil”, diz Cunha. O processo de recuperação deve ser gradativo, já que a perda da água por evaporação é baixa nessa época do ano. “Consequentemente, de forma natural, essa recuperação das barragens deverá acontecer”, afirma. A preocupação é com a primavera e início do verão, quando as chuvas podem ficar  escassas novamente. “Uma vez que não há no horizonte expectativa de volta de um evento El Ninõ”, afirma Gilberto Cunha.

Vídeo: Embrapa Trigo


Gostou? Compartilhe