Passo Fundo fecha quase 700 vagas de emprego

O saldo do município em abril foi o pior para o mês em 14 anos. Em março, mais de 880 vagas haviam sido criadas

Escrito por
,
em
Setor de serviço fechou 692 postos de trabalho em abril

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Passo Fundo teve o pior saldo de emprego para abril em 14 anos. Na contramão dos 883 postos de trabalho abertos em março, o quarto mês do ano fechou com 696 demissões a mais do que contratações. Com o último índice, o acumulado do ano, que já ultrapassava mil contratações, caiu para 370 vagas com carteira assinada no município. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho.

 

Um setor em especial contribuiu para a queda no indicador. Os serviços, protagonista em março com a abertura de 692 vagas, fecharam com saldo negativo de 630 postos de emprego. O comércio (-90) e a indústria da transformação (-13) também finalizaram o mês no vermelho. Por outro lado, a construção civil foi o setor que mais criou emprego, com 24 postos. A extrativa mineral (3), agropecuária (9) e administração pública (1) acompanharam com números positivos.

 

No Rio Grande do Sul, o saldo do mês de abril não foi diferente. Foram fechadas -1.252 vagas, resultado de 92.019 admissões e 93.271 desligamentos. A diferença representou uma queda de -0,05% no número de empregos em relação a março. Apesar disso, quatro dos oito setores econômicos no estado tiveram desempenho positivo. Foram os casos dos setores de serviços, que criou 1.926 vagas, e da indústria de transformação, que abriu 1.576 novos empregos. Quem pressionou negativamente o indicador do emprego no Estado foram os setores da agropecuária (com saldo de -3.264 vagas) e do comércio (- 2,276).

 

Saldo positivo no país

O Brasil fechou os quatro primeiros meses do ano com um saldo de 336.855 empregos criados. O mês de abril fechou com 115.898 postos de trabalho a mais do que em março. Esse é o melhor resultado para abril desde 2013, quando foram criadas 196.913 vagas. Ao longo de abril foram registradas 1.305.225 admissões e 1.189.237 desligamentos. Na comparação dos últimos 12 meses (ente maio de 2017 e abril de 2018), o saldo na geração de emprego formal (com carteira assinada) também é positivo, com 283.118 postos de trabalho gerados no período, um aumento de 0,75%.


O resultado positivo de abril foi sentido em todos os oito setores econômicos analisados pelo Caged, que tiveram expansão de vagas. O melhor desempenho foi no setor de serviços, que abriu 64.237 empregos, 0,38% a mais do que em março, com destaque para comércio e administração de imóveis, valores mobiliários e serviços técnicos, além de transportes, comunicações e serviços de alojamento, alimentação, reparação, manutenção e redação.


O segundo melhor desempenho foi na indústria de transformação, que abriu 24.108 vagas, puxada pela indústria química de produtos farmacêuticos, veterinários e perfumaria (8.763) e a indústria de produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico (7.820 postos). Em seguida, vieram a construção Civil (14.394), comércio (9.287), agropecuária (1.591), administração pública (980), indústria extrativa mineral (720) e serviços industriais de utilidade pública (581).


As cinco regiões do país apresentaram saldo na geração de empregos em abril. O Sudeste abriu um total de 78.074 vagas, seguindo pelo Centro-Oeste, com 15.769, Sul, com 13.298, região Nordeste, com 4.447 e Norte, com 4.310. Das 27 unidades da federação, 22 também tiveram aumento de emprego no último mês. O salário médio de admissão dos trabalhadores também subiu. O valor ficou em R$ 1.532,73 em abril, um aumento de 1,22% em relação a março. Houve aumento real de R$ 18,47.

 

Ano Saldo de abril
2004 173
2005 -39
2006 139
2007 414
2008 499
2009 -73
2010 286
2011 224
2012 136
2013 96
2014 -44
2015 -36
2016 -71
2017 -210
2018 -696

Fonte: Caged

SETORES TOTAL ADMIS. TOTAL DESLIG. SALDO
       
EXTRATIVA MINERAL 3 0 3
       
INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO 236 249 -13
       
SERV INDUST DE UTIL PÚBLICA 6 6 0
       
CONSTRUÇÃO CIVIL 177 153 24
       
COMÉRCIO 733 823 -90
       
SERVIÇOS 865 1.495 -630
       
ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1 0 1
       
AGROPECUÁRIA 27 18 9
       
TOTAL 2.048 2.744 -696

Gostou? Compartilhe