Confiança da indústria gaúcha recua pelo terceiro mês

Conforme dados da Fiergs, 50% viram piora na economia brasileira

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Índice de Confiança do Empresário Industrial no Rio Grande do Sul (ICEI-RS) caiu pelo terceiro mês seguido e registrou 50,1 pontos em fevereiro, um recuo de 1,4 ponto na comparação com janeiro. O resultado foi influenciado pelas condições atuais negativas da empresa e da economia brasileira e gaúcha (45 pontos). Elaborado mensalmente pela Fiergs, o ICEI-RS varia numa escala de 0 a 100 pontos. Quanto mais os valores estiverem acima de 50 denotam maior otimismo e quanto mais abaixo, pessimismo. 

O panorama econômico nacional somou 37,7 pontos. Para 50,3% dos entrevistados, a situação do País piorou nos últimos seis meses e apenas 4,0% tiveram opinião contrária. Os demais afirmaram que nada mudou em relação às dificuldades. A percepção para o Rio Grande do Sul não foi muito diferente (37,5 pontos). “Há um forte sentimento de frustração com o desempenho da economia e, em particular, da indústria, que, devido a sua falta de competitividade, continua presa a uma armadilha de estagnação. Os empresários gaúchos parecem não acreditar em mudanças significativas nesse cenário”, afirmou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), Heitor José Müller. 

O componente de expectativas também desacelerou na passagem de janeiro (53,7 pontos) para fevereiro (52,6 pontos), sustentando perspectivas moderadamente otimistas para o futuro das empresas (57,4 pontos), mas ainda pessimistas para as economias brasileira (43,3 pontos) e gaúcha (44,5 pontos). 

Gostou? Compartilhe