Intenção de consumo das famílias cai

Em março, a queda foi de 3,3%

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A Intenção de Consumo das Famílias (ICF) teve uma redução de 3,3% em março, comparada à de fevereiro, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Para a CNC, as causas foram a alta mais forte no nível de preços, o nível elevado de endividamento e o crédito mais caro. Os dados foram divulgados hoje (18)

Também houve uma retração ainda maior na intenção de consumo em relação a março do ano passado de 5,1%. No entanto, o índice, que está em 125,5 pontos, continua acima dos 100 pontos, considerada zona de indiferença.

A redução no ICF foi mais intensa entre as famílias com renda de até dez salários mínimos, de 3,5% ante fevereiro. Para as famílias com renda maior que essa, o recuo foi 2,4%.

As capitais do Sudeste foram as que mais caíram no ICF, com redução 4,8%, seguidas pelas do Norte, onde a queda foi 4,3%. Na comparação com o ano passado, o Sul teve queda 9,8%, e o Nordeste, alta de 3,6%.

Todos os indicadores da pesquisa recuaram, tanto na comparação com fevereiro quanto em relação a março do ano passado. O nível de consumo atual, único índice abaixo dos 100 pontos, caiu 1,8% ante fevereiro e 4,9% na base interanual.

Gostou? Compartilhe