Mês de julho teve saldo negativo no Caged

Índice foi de -83 vagas de trabalho em Passo Fundo

Por
· 1 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Passo Fundo fechou o mês de julho com um índice negativo na geração de empregos. Foram 1.391 admissões e 1.474 desligamentos, totalizando um saldo de -83 vagas. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). 

Na avaliação anual, entre os períodos de janeiro a julho de 2020, foram fechados 1.625 postos de trabalho, conforme o órgão. O indicador mede a diferença entre contratações e demissões. 

O saldo começou a ficar negativo em março e apenas em abril 1.831 vagas foram fechadas. A partir de maio o saldo negativo passou a cair e em julho chegou a menos 83 vagas, o melhor resultado desde março. O setor que extinguiu mais postos de trabalho foi o comércio, responsável pelo fechamento de 1.110 vagas ao longo do ano. O setor é seguido por serviços (-686) e construção (-19). A indústria abriu 179 vagas e agropecuária 11.

A maioria dos trabalhadores que perdeu emprego eram mulheres (-1020), trabalhadores com ensino médio completo (-957) e de idades entre 50 a 64 anos (-487). 


Passo Fundo teve uma redução de 20% a 30% dos pedidos de desemprego em julho, de acordo com coordenador da agência do FGTAS/Sine, Sérgio Ferrari. Ele acredita que programas do governo federal para a pandemia que colocaram o impedimento das demissões como condição auxiliaram na queda das demissões.

Brasil

O Brasil voltou a criar empregos formais em julho, depois de meses de extinção de postos de trabalhos devido a pandemia. De acordo com os dados divulgados pelo Caged, 131.010 postos de trabalho com carteira assinada foram abertos no último mês. No acumulado do ano, no entanto, o resultado é negativo. De janeiro a julho, foram fechadas 1.092.578 vagas, o pior resultado para os sete primeiros meses do ano desde o início da série histórica, em 2010.

O Rio Grande do Sul fechou o mês com o saldo positivo de 1.251 postos de trabalhos abertos. Assim como no país, este é o primeiro saldo positivo desde fevereiro. No acumulado do ano, de janeiro a julho, o RS fechou 95.036 vagas.

Vagas de Trabalho

A agência do FGTAS/Sine de Passo Fundo tem em torno de 150 vagas de emprego disponíveis, de acordo com o coordenador. “É uma das agências que captou mais vagas nesta semana”, destacou Ferrari na quinta-feira (20). Os setores com mais vagas são serviço, comércio e indústria. As vagas são destinadas para trabalhadores com diversos perfis. “Desde ensino fundamental incompleto, sem experiência, até superior”, explicou o coordenador. Ele credita o aumento de vagas principalmente a chegada de duas grandes empresas. “As empresas entendem que Passo Fundo é um polo” ressaltou Ferrari. A agência está realizando atendimentos presenciais de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h.

Gostou? Compartilhe