Baixas temperaturas não causaram prejuízos significativos para o trigo

Por
· 1 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Mais de uma semana após a passagem de uma frente fria pelo país, especialistas calculam os prejuízos do frio e da geada para a agricultura. Na região de Passo Fundo, no entanto, para o trigo as condições meteorológicas não causaram prejuízos significativos. “Nosso trigo acabou por não ser tão prejudicado em função do período de plantio”, explicou o gerente regional adjunto da Emater/RS-Ascar Passo Fundo, Dartanhã Luiz Vecchi. O trigo na região é plantado entre 10 de junho a 10 de julho, mais tarde em relação a outras regiões do estado, como Ijuí e Santa Rosa. “Acabamos por nos safar do prejuízo da geada", afirmou o especialista.

Clima

Para esta semana está prevista chuva na região. “Dependendo da quantidade, se for dentro da normalidade é necessária e útil para a cultura”, afirmou Dartanhã. Em caso de chuvas excessivas pode haver aumento da necessidade de tratamento fitossanitário, gerando mais custos. Ainda assim, ela é muito mais “prejudicial no período da colheita, quando o grão está pronto”, de acordo com o especialista.

Aumento da produção

No ano passado, a região tinha em torno de 54 mil hectares de trigo plantados. O número subiu 32% neste ano para 72,4 mil hectares. O objetivo dos produtores é amenizar os prejuízos causados pela estiagem. “A expectativa dos produtores é ter uma cultura de inverno que tenha uma boa produção e que eles consigam ter um pouco mais de lucratividade e produtividade”, disse o gerente. A expectativa inicial média da produção é de 3900 kg por hectare ou 65 sacas por hectare.

Gostou? Compartilhe