"O Brasil merece ter produção de combustíveis avançados"

Afirmação é do presidente da APROBIO e ECB Group Erasmo Battistella durante abertura de Simpósio sobre o tema

Por
· 1 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON
Você prefere ouvir essa matéria?

O presidente da Associação Brasileira de Biocombustíveis do Brasil – APROBIO e do ECB Group, Erasmo Carlos Battistella, palestrou nesta terça-feira, sobre a “Visão para os Biocombustíveis Avançados e o Renovabio”, no VI Simpósio de Eficiência Energética, Emissões e Biocombustíveis, promovido pela Associação Brasileira de Engenharia Automotiva – AEA.

O evento aconteceu de forma online e reuniu especialistas em um fórum de discussão, no qual compartilharam as experiências e as oportunidades que a engenharia automotiva possui para implantar tecnologias globais e desenvolver novas tecnologias locais. Para que desta forma, possa atender as legislações ambientais, a matriz energética e cada vez mais os biocombustíveis.

Neste ano a atividade teve como tema a “Mobilidade Sustentável: Oportunidades para a Engenharia Brasileira”. Battistella abriu o primeiro painel apresentando os biocombustíveis de primeira geração (biodiesel) e os de segunda geração (HVO - diesel verde, SPK – bioquerosene de aviação e Green Naphtha).

O empresário ressaltou que os biocombustíveis representam um passo importante na busca por um combustível sustentável para o mundo no século XXI. “Essas são as soluções de sustentabilidade para o nosso planeta que deve reduzir suas emissões de CO2 em todas as formas de transporte. E isso passa pela descarbonização dos transportes e pelo desenvolvimento rural, impulsionado por metas e mandatos ambiciosos para biocombustíveis (misturas obrigatórias) em todo o mundo,” salientou Battistella.

“O Brasil merece avançar mais na produção de biocombustíveis, contando com indústrias com tecnologia de ponta, design modernos, mais sustentáveis, capaz de produzir biocombustíveis mais limpos, como o HVO, o SPK, o Green Naphtha e o GLP verde,” pontou o empresário, destacando o investimento que vem fazendo no Paraguai, denominado de Omega Green, que está em fase final de projeto.

O Simpósio também contou com as palestras: “A perspectiva Brasileira de eficiência energética e emissão de CO2 e análise das alternativas tecnológicas”, ministrada pelo gestor de pesquisa do Centro Tecnológico da MAHLE Brasil, Everton Silva; “Estratégias e Tecnologias para o controle de emissões veiculares”, pelo Diretor de Catalisadores Automotivos da América do Sul, Stephan Blumrich; e, “Emissões Evaporativas de veículos etanol”, pelos engenheiros da General Motors do Brasil, Rafael Rossini e Danilo Torres.

Gostou? Compartilhe