Passo Fundo prestes a perder novo Centro Operacional da Comercial Zaffari

Imbróglio jurídico que inviabiliza aquisição da área da Manitowoc, pode tirar, também, 800 empregos do município

Por
· 5 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Oitava no ranking das 50 maiores economias de Passo Fundo, segundo dados do Valor Adicionado/2016, e com projeção de faturar mais de R$ 1 bilhão até 2020, a Comercial Zaffari está pronta para dar sequência ao seu plano de expansão, em 2018. Só que fora do município onde nasceu e cresceu. A mudança de rumo mira dois destinos geográficos: a região Metropolitana de Porto Alegre, e Lages, em Santa Catarina.


A decisão de deixar Passo Fundo está para ser tomada diante do entrave jurídico criado na negociação com a Manitowoc. A empresa está impedida momentaneamente de adquirir a área com a estrutura física já instalada pela norte-americana, em função de uma liminar obtida em ação judicial movida pelo vereador Patric Cavalcanti, DEM. O vereador quer que a área da Manitowoc, que deixou de operar em 2016, retorne ao município. A liminar interrompeu a negociação entre as duas empresas. Diante do imbróglio jurídico que deve se estender por mais tempo, a Comercial Zaffari decidiu dar um novo olhar aos negócios. O projeto é transferir o Centro de Operações da empresa (Logística, RH, Administrativo e comercial) para um dos dois grandes centros urbanos, Porto Alegre ou Lages/SC.


Neste sentido, se Passo Fundo vem comemorando o saldo positivo no emprego nos últimos quatro meses de 2017, poderá ter um baque no índice, já que a transferência dos serviços administrativos da Comercial Zaffari para outra cidade significará o fechamento de, pelo menos, 800 empregos diretos e indiretos até 2020.


Iniciado em 2013, o plano de expansão esbarra na estrutura física dos serviços administrativos. Os dois Centros de Distribuição da empresa, por exemplo, um localizado no centro de Passo Fundo e outro no bairro Santa Marta, não comportam mais a demanda, além de ocasionarem sérios problemas de fluxo do trânsito. Os dois movimentam cerca de 1,4 mil caminhões por ano. "A área da Manitowoc se apresenta como solução no projeto de expansão", disse o empresário Sérgio Zaffari ao revelar que o investimento total com a aquisição da estrutura poderia chegar a R$ 50 milhões, incluindo o ressarcimento de R$ 8 milhões ao cofres do município de Passo Fundo e mais investimento para adequar a estrutura física construída. Além disso, setores como RH, comercial e administrativo estão espalhados em diferentes prédios com estruturas já ultrapassadas. 
A instalação do novo Centro de Operações em Passo Fundo, permitiria à empresa investir na abertura de novas filiais no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, o que geraria um maior número de vagas de trabalho, além de desafogar o fluxo de veículos de grande porte como caminhões e carretas na localização atual e modernizar as demais estruturas de trabalho. Do ponto de vista financeiro, a empresa vislumbra aumento da rentabilidade, dada a eficiência operacional. O novo CO garantiria redução do prazo médio de estocagem, agilidade na estruturação e reforma de novas unidades de negócios, redução de custos/despesas na movimentação da frota e pessoal operacional e administrativo, centralização e melhoria nas instalações físicas dos escritórios e consequentemente maior produtividade.


Optando pela Região Metropolitana de Porto Alegre ou Lages, a Comercial Zaffari vai levar mais tempo para instalar o Centro Operacional. No mínimo três anos. "Se o Centro ficasse em Passo Fundo, ganhamos agilidade no plano de expansão, abrindo duas novas lojas a partir de 2018", esclarece Sérgio Zaffari.


O empresário faz um apelo para que todas as Instituições e Poderes constituídos do município avaliem o impacto que a saída da empresa ocasionará a Passo Fundo. "Mesmo na divergência que se encontre espaço e meios para um diálogo construtivo/produtivo, e ao invés de manter impasses e conflitos busquem, em conjunto, soluções. Neste caso, soluções em benefício da cidade, da região e povo da cidade de Passo Fundo", acentuou.


Investimentos locais
Se a negociação com a Manitowoc prosperasse, a Comercial Zaffari pretendia adaptar a estrutura logística para acondicionamento de produtos da linha alimentar e não alimentar, estimados para implantação de todo o projeto aproximadamente em R$ 12 milhões. Além de acomodar toda a estrutura administrativa, o CO teria capacidade para 29.736 mil posições de pallets, equivalente a 1.239 carretas. As obras iniciariam em março, com previsão de conclusão em setembro e o início das atividades já em outubro. Se em 2017, os Centros de Distribuição atuais conferiram e acondicionaram mais 10 mil notas fiscais, a estimativa é de um número ainda maior se a Comercial Zaffari concentrar os recebimentos numa única estrutura.

 

Sobre a Comercial Zaffari
A empresa foi criada em 1957 como um pequeno armazém. Em 1968 inaugurou o primeiro supermercado.
Hoje possui 12 supermercados (símbolo do Gauchinho) e 07 atacarejos (Stok Center), sendo 18 unidades no Rio Grande do Sul e 1 em Santa Catarina. São oito lojas em Passo Fundo, duas em Cruz Alta. Também possui filiais em Santa Cruz do Sul, Porto Alegre, Lagoa Vermelha, Marau, Ijuí, Santo Ângelo, Vacaria e Santa Rosa, além de Lages/SC. 
Projeção de empregos:
2017 - 1.883
2018 - 2.360
2019 - 2.890
2020 - 3.500

 

Movimentando a economia
Além da mão de obra direta, a Comercial Zaffari movimenta uma cadeia produtiva e de serviços que pode ser mensurada em reais. Segundo Sérgio Zaffari, no ano passado, a empresa fez mais de R$ 315 milhões em compras de mercadorias para estoque somente em Passo Fundo. Neste número não estão as aquisições imóveis, terrenos, equipamentos e veículos, as compras para manutenção das edificações, móveis, combustíveis, contratações de prestadores de serviço como advogados, consultores, serviços médicos e odontológicos, publicidades, hotéis, aluguéis de imóveis para unidades ou salas para eventos, empresas de frete e recolhimento de valores, prestadores de serviço de informática, seguradoras, cartórios e empresas de vigilância e segurança.


A utilização de estruturas produtivas e de serviços terceirizados, por exemplo, representa o envolvimento de 35 pequenos agricultores que fornecem principalmente hortifrutigranjeiros e a geração de outros 400 empregos indiretos que envolvem a terceirização de vários outros serviços como promotores de venda e monitoramento de segurança.

 

Ações sociais e culturais
* Projeto João Zaffari - Desenvolvido com adolescentes que possuam 16 e 17 anos de idade, que estejam frequentando regularmente a escola formal e que sejam carentes. Já formou mais de 250 alunos, em 21 turmas. Estima-se que 30% dos alunos formados ainda permanecem na empresa.
* Programas sociais - Investimento de R$ 6,6 milhões nos últimos anos. 
* Escola - A Comercial Zaffari construiu e entregou ao município a Escola Municipal de Educação Infantil André Zaffari, a primeira instituição educacional autossustentável e que vai servir de exemplo para todo o Estado. A escola, tem capacidade para 500 crianças e tem captação e reutilização de águas, placas fotovoltaicas para redução do consumo de energia, brises para controle da incidência direta do sol e da iluminação natural e telhas com isolamento térmico e acústico. Além disso, os espaços priorizam a acessibilidade. A mesma foi feita em parceria com a Prefeitura de Passo Fundo e cerca de R$ 5 milhões foram investidos.

* Cultura - O estímulo em cultura, educação e desenvolvimento social é permanente. A Comercial Zaffari investiu R$ 1,6 milhões, nos últimos 5 anos, através da Lei Rouanet, destinado a Grupos de Teatro e Festivais Culturais. Também, através da Lei de Incentivo ao Esporte para crianças e adolescentes do Estado do Rio Grande do Sul, dentre estes, o constante apoio ao Projeto Vila Nova que já formou mais de 1.500 alunos. E o forte aporte aos times de futebol do município, Esporte Clube Passo Fundo e Esporte Clube Gaúcho.

Gostou? Compartilhe