Cesta básica de Passo Fundo registra alta de 21,99% em um ano

Em comparação com agosto do ano passado, a cesta estava R$ 221,51 mais cara no último mês

Por
· 1 min de leitura
Os itens que obtiveram maior aumento nos preços foram sal, creme dental e sabonete (Foto: Leonardo Andreoli/Divulgação UPF)Os itens que obtiveram maior aumento nos preços foram sal, creme dental e sabonete (Foto: Leonardo Andreoli/Divulgação UPF)
Os itens que obtiveram maior aumento nos preços foram sal, creme dental e sabonete (Foto: Leonardo Andreoli/Divulgação UPF)
Você prefere ouvir essa matéria?

Pelo quarto mês consecutivo, a cesta básica registrou alta em Passo Fundo. Em agosto, os preços dos produtos que compõem a cesta subiram 2,95%, em relação a julho. Já em comparação com o mesmo período do ano passado, foi registrado um aumento de 21,99%, o que significa que a cesta está R$ 221,51 mais cara.

A variação acumulada da cesta básica das famílias passo-fundenses nos últimos doze meses é de 23,24%. Apenas em 2021, a variação acumulada é 10,42%. As informações foram divulgadas hoje (09) pelo Centro de Pesquisa e Extensão da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis (Cepeac/Feac) da Universidade de Passo Fundo (UPF).

Enquanto em agosto de 2020 uma família precisava de pouco menos de um salário mínimo para adquirir a cesta, em agosto deste ano a mesma cesta custa 1,12 salários mínimos. A pesquisa afirma que isso representa uma diminuição no poder de compra da população.

De acordo com o estudo, para a aquisição da cesta, composta por produtos dos grupos de alimentação, higiene pessoal e limpeza doméstica, foram necessários, em agosto de 2021, R$1.193,58, enquanto que em julho, o custo foi de R$1.228,75, o que representa uma alta de R$35,17 por cesta.

Os itens que obtiveram maior alta de preços foram: sal, creme dental e sabonete, com aumento de 26,53%, 25,85% e 25,42%, respectivamente. Por outro lado, os produtos com maior queda foram: lâmina de barbear, feijão e shampoo, com preços reduzidos em 34,64%, 13,53% e 9,47%, respectivamente.

Gostou? Compartilhe