Passo Fundo encerra Taça Piratini na sétima posição

Tricolor foi derrotado em casa por 2 x 0 para o São Luiz de Ijuí

Por
· 3 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Mesmo se tivesse contado com os dos dois resultados paralelos necessários, o Passo Fundo não estaria na segunda fase da Taça Piratini por não ter feito o dever de casa na tarde deste domingo. A equipe sucumbiu diante do bom time do São Luiz de Ijuí, que venceu por 2 x 0, em pleno Vermelhão da Serra, e garantiu a liderança do grupo B, com 17 pontos.  Os dois gols da partida foram marcados pelo meia Marcos Paraná. O tricolor fechou a primeira fase na 7ª  colocação, com oito pontos.

A segunda derrota em casa irritou o presidente do clube, Selvino Ferrão. “Esse time vinha mal e continua mal. Não tem jogador no mercado para reforçar. Temos que tirar leite de pedra na segunda fase. Só tenho que agradecer pelo apoio da torcida que enfrentou toda essa chuva. Somos obrigados a mudar” desabafou logo após o término do jogo.

O Passo Fundo não esteve bem durante os 90 minutos. Com pelo menos cinco desfalques, a equipe foi envolvida pelo toque de bola rápido e a boa marcação do São Luiz. Comandado pelo camisa 10 Marcos Paraná, e com as subidas rápidas do lateral Junior Barbosa, o time de Ijuí chegava  com certa facilidade ao ataque.

O Passo Fundo tentava responder, mas a desorganização do setor do meio-campo, com muitos erros de passes, e a insistência da zaga em fazer a ligação direta com o ataque, facilitavam a vida do São Luiz. Apesar do volume de jogo, o adversário não  criava chances claras de gol. Justamente na primeira delas, aos 31 minutos, abriu o placar. O cruzamento desta vez veio da esquerda. Marcos Paraná dominou dentro da área e, com categoria, deu um toque no ângulo direito de Bruno Grassi, fazendo 1 x 0.

Nos dois minutos seguintes ao gol, o Tricolor, que até então também não havia levado perigo ao gol de Oliveira, teve as duas melhores oportunidades do jogo. A primeira delas foi desperdiçada Claiton. Após uma cobrança de falta rápida, Diego Miranda deixou o meia cara a cara com o goleiro. Claiton ainda tinha a possibilidade de passar para Robert, livre ao lado, mas preferiu tocar na saída de Oliveira, que conseguiu desviar e mandar para escanteio. Irritada, a torcida passou a vaiar o jogador,  substituído no intervalo por Henrique.

A segunda oportunidade veio na sequencia. Aos 34 min, novamente Diego Miranda fez um belo passe para João Paulo. Livre, o atacante invadiu a área e tocou na saída de Oliveira. Para desespero da torcida, a bola passou raspando o poste esquerdo. O Passo Fundo voltou a assustar aos 37min. Xaro numa  cobrança de falta mandou a bola no ângulo esquerdo de Oliveira, que fez uma linda defesa. Faltando 10 minutos para o fim do primeiro tempo, uma forte chuva, com vento,  caiu sobre o  Vermelhão da Serra.

Com o gramado encharcado para a segunda etapa , o técnico Beto Campos apostou no jogo aéreo. Ele colocou o atacante Heber no lugar de Robert, mas a bola não chegava com qualidade.  Enquanto isso, o São Luiz trocava passes com certa facilidade, sob o comando de Marcos Paraná, que acabou ampliando aos 27 minutos. Após uma inversão de jogo feita por Juba, ele dominou e bateu rasteiro de longe. A bola ainda desviou na zaga do Passo Fundo e entrou no canto direito de Bruno Grassi, fazendo 2 x 0.  

Como já havia acontecido no primeiro tempo, logo após o gol, o Passo Fundo teve outra boa oportunidade de descontar com Chiquinho, que entrara no lugar de Mateus. Ele recebeu dentro da área e tocou rasteiro para fora. Desorganizado, o Tricolor não teve forças para reagir e encerrou com derrota a Taça Piratini.

Erros

Para Beto Campos, o Passo Fundo errou ao fazer uma marcação distante de um adversário qualificado como o São Luiz, principalmente no primeiro tempo. O técnico também lamentou as oportunidades desperdiçadas. “No intervalo pedi para melhorar o toque de bola, mas a equipe continuou insistindo na ligação direta, facilitando o trabalho para o adversário” justificou. Antes do início do segundo turno do Gauchão, Campos terá uma folga de três semanas para corrigir os erros e esperar pelo retorno dos jogadores lesionados. A equipe retorna aos trabalhos na próxima quarta-feira. 

Gostou? Compartilhe