Bibiano será árbitro delegado da CBF

A partir de 2019, passo-fundense vai trabalhar em jogos por todo o Brasil

Por
· 1 min de leitura
Bibiano sempre trabalha nos jogos da cidadeBibiano sempre trabalha nos jogos da cidade
Bibiano sempre trabalha nos jogos da cidade
Você prefere ouvir essa matéria?

O árbitro delegado Paulo Roberto Bibiano recebeu uma grande notícia nos últimos dias. A Federação Gaúcha de Futebol (FGF) pediu a documentação do passo-fundense para enviar para Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O motivo é que, além de continuar presente nos jogos da cidade, também vai exercer o seu trabalho em partidas de nível nacional, viajando por todo o Brasil. “Fiquei contente. É reconhecimento do trabalho que eu faço por toda a região”, fala o delegado. Hoje com 65 anos, Bibiano está envolvido na carreira há 44 anos. Começou a trabalhar como árbitro com 21, função que desenvolveu até os 45 anos. Depois disso, em 1998, ingressou diretamente como delegado e ainda continua no ofício.

 

Relação com Passo Fundo
“Sou nascido e criado na Vera Cruz”, conta com orgulho. A relação de Bibiano com torcida passo-fundense é algo incomum. Todos os envolvidos com arbitragem geralmente são alvo de críticas e xingamentos durantes as partidas – menos o delegado. “Minha relação é maravilhosa e às vezes eu fico até emocionado. Nos jogos do Gaúcho e do Passo Fundo a torcida me chama pelo nome e sempre me cumprimenta. O torcedor que não me conhece às vezes fica meio restrito comigo, porque acham que eu sou de fora”, acrescenta.

 

Trabalho
Quem está acostumado a checar as súmulas dos jogos no site da Federação, já deve ter percebido que até mesmo a torcida, os dirigentes, jogadores e também a imprensa é avaliada. Bibiano é responsável por esse trabalho e também por conferir se existem condições médicas e de segurança para a realização da partida. Junto com o quarto árbitro, ainda realiza a checagem da documentação de todos os jogadores, de ambos os times, que estão relacionados para a partida. “Tenho que agradecer a diretoria do Passo Fundo e do Gaúcho, porque foram eles que me indicaram. Eu tenho que fazer um trabalho bem feito, pois meu nome foi liberado por eles”, finaliza Bibiano.

Gostou? Compartilhe