França vence o Brasil e avança no Mundial Feminino

Por
· 2 min de leitura
Equipe francesa conseguiu a vitória na prorrogaçãoEquipe francesa conseguiu a vitória na prorrogação
Equipe francesa conseguiu a vitória na prorrogação
Você prefere ouvir essa matéria?

Não foi fácil, mas a França confirmou seu favoritismo em Le Havre, diante de 23.965 torcedores,pelas oitavas de final do Mundial Feminino, e avançou na competição. O jogo foi para a prorrogação e terminou em 2 a 1. A equipe anfitriã foi para as quartas de final do Mundial feminino e agora espera o vencedor do duelo entre Estados Unidos e Espanha, que se enfrentarão nesta segunda-feira. O resultado manteve o tabu de o Brasil nunca ter vencido a França no feminino. Em nove partidas na história, foram cinco empates e quatro derrotas.

 

O jogo

A França começou muito bem. Tomando a iniciativa da partida e criando chances claras, enquanto o Brasil encontrava dificuldades de sair jogando, optando por lançamentos longos.

 

Mas a primeira chance clara é do Brasil. Aos 8 minutos, Marta recebe, se livra de duas adversárias e chuta ao lado do gol da França.

 

Dois minutos depois, a França consegue uma boa oportunidade, em cobrança ensaiada de falta de Henry. A meia chuta forte, por cima do gol.

 

A França continuou pressionando. E aos 22 minutos, Diani avança pela direita e cruza da linha de fundo. Bárbara sai mal e Gauvin consegue escorar de ombro para o fundo do gol. De início, a árbitra confirma o gol. Mas o VAR (árbitro de vídeo) sinaliza que há um toque de mão ilegal de Gauvin. E, após uma longa parada, o gol é anulado.

 

Após o gol anulado, o Brasil melhora e consegue boas chances. Aos 42 minutos, Cristiane avança pela esquerda e chuta com violência para a goleira Bouhaddi escorar para fora.

 

Mas a partida é aberta e no final do tempo regulamentar a França tem ótima oportunidade com Majri, que chuta forte para fora após passe de Bussaglia.

 

Gols no 2º tempo

O segundo tempo começa com as duas equipes partindo em busca da vitória. Um jogo emocionante.

 

E aos 6 minutos, Diani recebe bola na direita, deixa Tamires para trás e cruza rasteiro da linha de fundo para Gauvin, que bate de primeira para abrir o marcador.

 

Porém, o Brasil não se entregou. Três minutos após o gol francês o Brasil tem chance clara. Marta cobra falta para Cristiane, que acerta a bola no travessão do gol de Bouhaddi.

 

E a equipe brasileira conseguiu chegar ao empate aos 18 minutos. Debinha avançou pela esquerda e cruzou para Cristiane, mas Renard corta a bola, que sobra para Thaísa, que chega chutando cruzado para vencer Bouhaddi. Após consulta ao VAR, a árbitra confirma o gol brasileiro.

 

O Brasil continua pressionando as francesas. E aos 29 minutos Debinha rouba bola de Mbock, na saída de bola, e chuta com perigo da entrada da área. Mas Bouhaddi consegue defender com segurança.

 

Aos 39 minutos, Cristiane puxa contra-ataque perigoso, mas é parada com falta de Diani. Andressinha vai para cobrança. Chuta muito forte para defesa segura de Bouhaddi.

 

Dois minutos depois, Cristiane lança Tamires livre. E a meia brasileira chuta para o fundo do gol da França. Mas a árbitra assinala, com correção, impedimento do ataque do Brasil. Gol anulado.

 

Mas o jogo permanece empatado até o final do tempo regulamentar. E com isto a partida vai para a prorrogação.

 

Henry decide

No primeiro tempo extra, tanto Brasil como França realizam um jogo franco, com chances claras de marcar dos dois lados. Mas o placar permanece em 1 a 1.

 

Contudo, na segunda etapa do tempo extra, a França consegue tirar a igualdade do marcador. Com menos de um minuto, Majri levanta bola na área brasileira e Henry aparece livre para finalizar de primeira e fazer 2 a 1.

 

Com a desvantagem no marcador, a equipe brasileira avança e oferece espaços para a França, que aproveita para contra-atacar.

 

Em um destes lances, Diani avança livre pela direita e chuta cruzado para boa defesa para a goleira Bárbara. Já o Brasil pouco conseguia produzir.

 

Até que o tempo extra chega ao fim, marcando o ponto final da participação brasileira na Copa do Mundo de 2019.

Gostou? Compartilhe