A tecnologia aprovada no Gre-Nal

A experiência positiva do Árbitro de Vídeo no clássico gaúcho

Escrito por
,
em
VAR no Beira-Rio

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A história está escrita. No domingo (11/03), no Beira-Rio, o Gre-Nal 413 foi o primeiro clássico com Árbitro de Vídeo do futebol brasileiro. A experiência com a ferramenta foi avaliada de forma positiva pelos seus operadores. No campo, Jean Pierre Lima, depois o substituto Jonathan Pinheiro, e os assistentes, Rafael da Silva Alves e Lúcio Flor, comunicaram-se com a cabine. Nela estavam Rafael Traci, como árbitro de vídeo, e Ivan Carlos Bohn, como árbitro assistente de vídeo, além do supervisor Manoel Serapião.

 

Avaliação
O supervisor disse que “tudo foi plenamente satisfatório. Ainda podemos fazer alguns ajustes. No futuro as câmeras podem ser ajustadas especificamente para o Árbitro de Vídeo e não para a transmissão”. Mesmo sem nenhuma mudança de decisão tomada no campo, Rafael Traci revisou alguns lances e conversou com os árbitros do clássico. “A gente espera que o VAR não precise atuar, mas estamos preparados para quando for necessário intervir. Fizemos um treinamento bem completo e, aqui neste jogo oficial, conseguimos colocar em prática tudo o que foi passado no curso de capacitação”.

Gostou? Compartilhe