Vestiário do Gaúcho ferve entre gritos e lágrimas

Presidente do time não pretende recorrer em caso de derrota no TJD

Escrito por
,
em
Presidente Gilmar Rosso: ?EURoenão subo com irregularidade?EUR?

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Após um silêncio de aproximadamente 36 horas, o presidente do Sport Clube Gaúcho manifestou-se em relação ao episódio que pode pôr fim a uma das melhores campanhas do clube. Sobre a suposta irregularidade na inscrição de um atleta, assumiu a responsabilidade. “Tudo é o presidente”, enfatizou. Também disse que “não é a hora para valorizar quem errou”. Sobre a demora em vir a público, explicou que foi a São Borja e, depois, Porto Alegre. Na manhã de sexta-feira, ele esteve no vestiário, onde conversou com o elenco e comissão técnica. O clima esteve tenso, com manifestações fortes do técnico Gelson Conte e dos próprios atletas. Alguns choraram inconformados com a iminência de eliminação, o time não subir para a Divisão de Acesso e perder um título que estava quase na mão. No início da tarde o SC Gaúcho publicou nota assinada pelo presidente onde destaca que “Nesse momento, não é e nem será de procurar o responsável de quem fez ou deixou de fazer. A RESPONSABILIDADE É DO PRESIDENTE DO CLUBE”. A caixa alta é original da publicação.

 

Sem recurso
Mesmo antes do resultado do julgamento do caso pelo TJD, programado para terça-feira, antecipadamente o presidente Gilmar Rosso já descartou a possibilidade de entrar com recurso em caso de derrota. “Se houve erro, não houve dolo. Não tivemos a intensão do erro”. O presidente ainda disse que “não vai se sujeitar a um recurso”, em caso de o clube ser condenado pelo episódio. “Prefiro ficar 10 anos na segunda divisão do que subir dessa maneira”, completou. Porém, disse que quer subir mais do que todos querem. “Eu não subo com irregularidade, por isso não vou recorrer”. Sobre a participação do Gaúcho na Copinha, Gilmar disse que “depende de terça-feira”.

 

Conversa no vestiário
Depois de uma viagem a São Borja e a frustração pelo cancelamento da partida, sexta-feira o elenco do Gaúcho esteva na Arena Wolmar Salton BSBIOS. O presidente Gilmar Rosso foi ao vestiário para explicar a situação ao grupo e comissão técnica. Para uma equipe embalada por uma das melhores campanhas da história do clube, a situação é inaceitável. As palavras do presidente, classificadas como ‘conversa pra boi dormir’ foram interrompidas. Algumas manifestações foram aos gritos, demonstrando toda a indignação de atletas e comissão técnica. Enquanto alguns jogadores não seguraram as lágrimas, outros também falaram. “Não é só o dinheiro, é um carreira pela frente”, argumentaram os jovens jogadores.


Repercussão
Ainda em São Borja, a delegação do Gaúcho foi visitada pelos jogadores do São Borja, que demonstraram a sua solidariedade diante das circunstâncias. Ontem, o goleiro Yan disse que “a gente está na expectativa e agora vamos aguardar pelo nosso advogado. Estávamos motivados para a semifinal e isso é complicado para o grupo”. Já o técnico Gelson Conte não esconde sua decepção pela possibilidade de uma campanha vitoriosa ser interrompida por um erro fora de campo. “O maior sentimento é andar a pé pela cidade e encontrar o torcedor. É triste quando você sabe que vai chegar ao objetivo. O grupo pode chegar jogando, isso praticamente estava certo”.


Entenda o caso
Na quarta-feira, a Federação Gaúcha de Futebol recebeu uma reclamatória do Sport Club Rio Grande, time eliminado pelo Gaúcho nas quartas de final pela Segunda Divisão do Campeonato Gaúcho. A questão está relacionada à suposta irregularidade na inscrição do atleta Tauan de Quadros, lateral direito mais conhecido como Boni. Inscrito com vínculo não profissional, portanto amador, o atleta completou 21 anos em 26 de junho. Como isso, de acordo com o pleito do Rio Grande, caracterizaria uma irregularidade. Por esse ângulo, entende-se que ao completar 21 anos o atleta necessitaria de um contrato com vínculo profissional. Sabendo deste detalhe, o clube rio-grandino ingressou com reclamação na FGF. Ainda na quinta-feira, antes do horário previsto para o início da semifinal entre São Borja e Gaúcho, atendendo solicitação liminar da Procuradoria, o presidente do Tribunal de Justiça Desportiva da FGF, Carlos Souza Schneider, suspendeu as partidas programadas para os dias 12 e 15 de julho. Ainda solicitou máxima urgência na distribuição do processo. Respeitando os prazos de publicação do edital, a demanda será julgada em sessão da Segunda Comissão Disciplinar do TJD, na próxima terça-feira, 17 de julho, às 17 horas. O Gaúcho será defendido pelo advogado Alexandre Borba.

Gostou? Compartilhe