Delegação paralímpica vai a Londres em busca da 7ª posição geral

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Os 182 atletas brasileiros que irão aos Jogos Paralímpicos Londres 2012 têm o objetivo de levar o Brasil à sétima colocação no quadro geral de medalhas, superando a nona posição dos Jogos de Pequim 2008. Formada por 156 integrantes do programa Bolsa-Atleta do Ministério do Esporte – 85% do total –, a delegação brasileira irá participar de 18 das 20 modalidades que fazem parte das Paralimpíadas. Os Jogos serão realizados de 29 de agosto e 9 de setembro.

O Bolsa-Atleta é o maior programa do mundo de incentivo direto ao atleta. Desde 2005, 18 mil bolsas já foram concedidas a atletas brasileiros, representando um investimento de mais de R$ 284 milhões até 2012. O público-alvo são atletas e atletas com deficiência de alto rendimento que obtêm bons resultados em competições nacionais e internacionais de sua modalidade. O programa garante condições para que se dediquem com exclusividade e tranquilidade ao treinamento, para desenvolver seu rendimento e participar de competições locais, sul-americanas, pan-americanas, mundiais, olímpicas e paralímpicas.

Atualmente, são cinco as categorias de bolsa oferecidas pelo Ministério do Esporte: Atleta de Base, Estudantil, Nacional, Internacional e Olímpico/Paralímpico. Em breve será iniciada a categoria Atleta Pódio, que é, ao mesmo tempo, um novo programa do Ministério. Projetado para contemplar atletas de elite do esporte com reais condições de disputar finais, títulos e medalhas, o Pódio atenderá esportistas que estejam nas primeiras 20 posições do ranking mundial em modalidades individuais do programa dos Jogos Olímpicos e dos Paralímpicos. Os benefícios poderão chegar até R$ 15 mil mensais.

Já no primeiro dia de competição, 30 de agosto, o Brasil tem grandes chances de conquistar medalhas no judô e na natação. Os multimedalhistas Daniel Dias, André Brasil e Clodoaldo Silva caem na piscina com finais previstas para o período da noite. O país também irá estrear neste dia em hipismo, tênis de mesa, goalball masculino e goalball feminino. Ao todo, serão 10 dias de competições em vários pontos de Londres.

Brasil nas Paralimpíadas
O Brasil iniciou sua participou de sua primeira edição de Jogos Paralímpicos em 1972, em Heidelberg. As primeiras medalhas, porém, vieram em 1976, em Toronto no Canadá: a prata no lawn bowls, uma espécie de bocha na grama, com Luiz Carlos da Costa e Robson Sampaio de Almeida. O país chegou em 31º no quadro geral da competição.

O melhor desempenho do Brasil foi em Pequim 2008, quando a delegação brasileira conquistou 47 medalhas (16 ouros, 14 pratas, 17 bronzes) e ficou na nona posição.

Confira o quadro da participação do Brasil em Paralimpíadas:



Maiores medalhistas
O maior medalhista brasileiro em Paralimpíadas é o nadador Clodoaldo Silva, com 6 ouros, 5 pratas e 2 bronzes. O nadador Daniel Dias é o brasileiro com maior número de medalhas em uma mesma edição: foram 4 de ouro, 4 de prata e 1 de bronze nos Jogos de Pequim 2008.

A velocista Ádria dos Santos ganhou mais medalhas entre as mulheres: 4 ouro, 8 pratas e 1 bronze.  

Modalidades em Londres
Vinte modalidades serão disputadas nos Jogos Paralímpicos Londres 2012. São elas: atletismo; basquete em cadeira de rodas; bocha; Ciclismo; esgrima; futebol de 5; Futebol de 7; goalball; halterofilismo; hipismo; Judô; natação; remo; rúgbi (Brasil não participará dessa modalidade); tênis em cadeira de rodas; tênis de mesa; tiro; tiro com arco (Brasil não participará desta modalidade); vela; e vôlei sentado.

Ministério do Esporte

Gostou? Compartilhe