?EURoeRecomeçamos a contar nossa história?EUR?

Colegiado comanda o clube e prepara uma nova estrutura administrativa

Por
· 1 min de leitura
Taschetto: ?EURoenão é um chefe só?EUR?

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?
Após uma crise financeira, o Esporte Clube Passo Fundo passou por mudanças administrativas. Um tempo para a bola e o clube não disputa a Copa Seu Verardi. O foco, agora, é pagar dívidas e reiniciar uma reestruturação. Isso já começou e o ECPF vem sendo administrado por um colegiado: Elói Taschetto, Alberto Scortegagna, Luiz Valério, Alberto Poltronieri e Volnei Strapasson. De acordo com o patrono Taschetto “não tem chefe”. Isso significa que a presidência não é exercida por uma pessoa e, sim, pelo grupo de cinco conselheiros. Mesmo sem a bola, o jogo segue no Vermelhão da Serra. “Pagando contas, mas mais da metade já acertamos. Isso só quando existe documento da dívida e vamos finalizar as trabalhistas primeiro”, explicou.
 
Jantar
O Passo Fundo promoveu um jantar, na sexta-feira, 06, no salão de festas do Vermelhão da Serra. Conselheiros, associados e torcedores ficaram sabendo sobre a situação do clube. Também foram apresentadas as propostas para viabilizar o futebol em 2020. “Hoje recomeçamos a contar a nossa história. Das cinzas vi renascer o Esporte Clube Passo Fundo. Vamos recomeçar com um novo tipo de administração. Necessitamos ter a confiança de todos para contar com a comunidade”, disse com entusiasmo o patrono Taschetto. Ainda neste ano, o ECPF deve iniciar com as categorias de base, além de preparar a estrutura do departamento de futebol para a Divisão de Acesso no próximo ano.
 
Gostou? Compartilhe