Maria Eduarda é tricampeã gaúcha de Velocross

Os passo-fundenses ainda conquistaram três vice-campeonatos na temporada

Por
· 1 min de leitura
Duda: título em pistas curtas e com curvas acentuadas

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Quando a moto número 127 está no grid significa que a prova terá muitas emoções. Sim este é o número que acompanha de Maria Eduarda Salomoni da largada ao pódio. E não foram poucas conquistas, do motocross ao velocross. Após uma pausa em 2018, Duda começou bem a temporada 2019, vencendo o Campeonato Gaúcho de Arena Velocross. Foram três etapas, de janeiro a março. A primeira etapa ocorreu em Fortaleza dos Valos, a segunda em Cruz Alta e a última em Arvorezinha. Dudinha, como é carinhosamente conhecida no mundo das duas rodas, explica que “começamos o ano com pé direito, depois de um ano sem participar de campeonato Estadual, retornei no Gaúcho de Arena Velocross 2019”.

 

Técnica e arrojo
O Arena de Velocross difere um pouco de outras competições às quais Maria Eduarda estava habituada. “A corrida acontece em pistas bem curtas, prova noturna, iluminada, é algo diferente ao que estamos acostumados. É curta, com curvas bastante acentuadas que formam muitas canaletas, é uma pista bastante técnica”. Assim, ela soube mesclar sua pilotagem sempre arrojada com a técnica adquirida nos últimos anos para garantir mais um título. “Estou com bastante dificuldade de tempo para treinar, por causa do meu trabalho, mas ao mesmo tempo não quero abandonar o esporte. O esporte é a minha vida. Então estou competindo do jeito que eu posso, com menos treinos do que antigamente, mas na medida do possível eu tento me dedicar ao máximo”. Com dificuldades para treinar nas pistas, Duda compensou na preparação física. “Hoje em dia tenho feito uma boa preparação na academia, treinos com o contato com a moto eu acabei diminuindo, por não conseguir sair na parte do dia para treinar. Pois é como eu sempre digo, o Velocross é um hobby, infelizmente mesmo, pois para os pilotos que se destacam, não é possível viver do esporte no Brasil. Eu, claro, continuo com o apoio de Pneus Technic, Pato Loco Preparações, Avtec e Belparts”, avaliou a tricampeã gaúcha.

 

Passo Fundo
Além de Duda, dois pilotos trouxeram os títulos de vice-campeões para Paasso Fundo. Na categoria Junior, Ighor Tessaro é o vice-campeão do Gaúcho de Arena Velocross. Aos 13 anos, Ighor vem se destacando e subindo ao pódio nas competições em nível estadual e nacional. Ighor iniciou na mini motos 65cc e, neste ano, subiu para a classe Junior (antiga 85cc). Outro passo-fundense que obteve o vice-campeonato na Arena Velocross 2019 foi Luciano de Conto, na categoria VX3 Nacional. E teve mais um vice para Passo Fundo, através de Leonardo Weingartner na VX3 Importada. 

Gostou? Compartilhe