Em nota, Grêmio repudia ato de racismo

Time gaúcho publica nota oficial após ato de racismo de alguns integrantes da torcida contra o goleiro do Santos

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Grêmio repudiou a atitude dos torcedores que, ontem (28), agrediram o goleiro do Santos, Aranha, com ofensas de caráter racial. No primeiro semestre do ano, o clube gaúcho já foi multado em R$ 80 mil pelo comportamento racista de um de seus torcedores, que xingou o zagueiro Paulão, do Internacional.

Em nota, o Grêmio lamenta e repudia o que classificou de ato de racismo. A agremiação gaúcha se solidariza com o atleta santista e com o clube paulista e destaca que atos como o protagonizado pela torcedora gremista filmada chamando Aranha de “macaco” são fruto de “atitudes individuais e isoladas.

O Grêmio também garante que está fazendo todo o necessário para identificar os torcedores que discriminaram o atleta santista. O Departamento Jurídico do clube e a empresa Arena Porto-Alegrense, que administra o estádio, devem entregar às autoridades competentes as imagens gravadas pelas câmeras de vigilância do estádio. Na esfera criminal, a Polícia Civil já instaurou inquérito para apurar os responsáveis pelo crime de injúria, que prevê penas de um a três anos de reclusão e multa.

Ainda segundo o Grêmio, eventuais sócios do clube que venham a ser identificados ofendendo o goleiro santista vão ser suspensos e proibidos de frequentar o estádio. “Reiteramos que o Grêmio tem sido um incentivador de iniciativas que visam a coibir esse tipo de crime e que continuará alerta e atuante na luta contra a discriminação racial”, conclui a nota.

Já o Santos considerou o caso “inadmissível”, embora seja um “fato isolado”. A agremiação paulista diz que é impossível ignorar a manifestação ofensiva de alguns torcedores gremistas. O Santos propõe a retomada da campanha #RacismoNão, criada depois que um outro atleta santista, o volante Arouca, foi xingado por torcedores do Mogi Mirim, durante um jogo do campeonato paulista, em março deste ano. Em função da atitude de seus torcedores, o Mogi foi multado em R$ 50 mil.

“O ato representa a ignorância de uma minoria da sociedade, mas, por reconhecer o seu compromisso social em colaborar para a inibição de qualquer ato de preconceito, defendendo a sua cultura e a posição de seus torcedores, simpatizantes e ídolos, o Peixe [símbolo do clube] resgata, no dia de hoje, a campanha #RacismoNão”, informa o Santos em nota.

Agência Brasil

Gostou? Compartilhe