?EURoeCheguei lá em cima, o homem disse desce!?EUR?

Em uma conversa breve, Kita fala de sua recuperação e afirma que ainda tem muito para viver

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Pouco mais de uma semana após sua saída da UTI do hospital Prontoclínica, Kita, acompanhado de seu filho Alexandre, conversou brevemente com O Nacional sobre sua recuperação e superação da forte infecção que quase custou sua vida, através da vontade de viver.

Emocionado, o ex-atleta falou também sobre o Gre-Nal dos Veteranos e a satisfação de contar com o apoio da comunidade, dos amigos e torcedores que ajudaram e estiveram presentes no Vermelhão da Serra. Aos 53 anos, o ídolo do futebol brasileiro espera a melhora para aproveitar ao máximo o convívio com sua família.

Após sua sessão de fisioterapia, na manhã desta sexta-feira, Kita fez questão de sair do quarto e ficar na sacada do hospital para aproveitar o sol e a vista da cidade. Confira a entrevista:

ON - Como está o seu estado se saúde agora?
Kita -
Estou bem melhor, o pior de tudo já passou. Agora é questão de se recuperar e tocar o barco.

ON - Como foi recebida a notícia da movimentação para o jogo beneficente?
Kita -
Eu lembro pouca coisa enquanto estava na UTI, Comecei a entender o que estava acontecendo nos meus últimos dias antes de vir para o quarto. Foi uma emoção muito grande, receber o apoio dos meus amigos, conselheiros do Grêmio e do Inter. Nesses momentos é que você vê os amigos que você tem. Ver um jogo como este Gre-Nal, um amistoso, uma brincadeira que quase encheu o estádio, é sinal que eu sou um cara muito querido.

ON - Poucos dias após o Gre-Nal você saiu da UTI. Você acredita na influência disso na sua melhora?
Kita -
Eu acho que muita gente orou por mim, muita gente torceu por mim, meus amigos vieram me dar apoio, então isso teve uma influência muito grande, com certeza me ajudou a melhorar...

ON - Os ex-jogadores vieram te visitar?
Kita -
Sim, vieram. Isso me ajudou na recuperação sem nenhuma dúvida.

ON - Assim como as emoções nas suas conquistas no futebol, como você vê mais essa conquista agora?
Kita -
São emoções diferentes. Tem a emoção de alegria, quando você ganha um jogo, um campeonato, e a emoção agora que eu estou me recuperando. Foi uma conquista sim, só o que eu espero agora é me recuperar logo e voltar à ativa. Não é fácil, mas vamos em frente. Cheguei lá em cima, bati na porta e o homem não me deixou entrar. Ele disse: Desce que você tem muita coisa para fazer lá embaixo ainda, tem os filhos para criar, tem muita coisa.

ON - Já existe uma previsão de alta?
Não tem ainda. A médica não me disse nada ainda. Já faz quase 50 dias que estou aqui, a pouco tempo consegui ver a luz do sol e cheguei a ficar tonto, não estava mais acostumado. Mas acredito que seja em torno de 10 a 15 dias.

No fim da conversa Kita ainda falou do filho Guilherme e da família.
“Não é fácil, é muita coisa junto, mas nós vamos superar isso. Alíás, nós já superamos muita coisa e isso só aconteceu porque somos unidos” finalizou.

Gostou? Compartilhe