Plano B à perigo

Período eleitoral pode impedir que o Sport Club Gaúcho jogue a Segundona 2011 no estádio Delmar Sitone

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Marcelo Alexandre Becker/ON

Como já foi noticiado, a atual diretoria do Sport Club Gaúcho tenta na justiça um acordo para que o time possa mandar os seus jogos no Campeonato Gaúcho da segunda divisão de 2011 em seu antigo estádio, o Wolmar Salton, seja retomando os direitos do local, ou até mesmo através de locação. Mas como ter a sua casa de volta ainda depende de uma série de fatores, o clube do Boqueirão trabalha com um plano B para não ter que repetir 2010, e assim jogar em Passo Fundo: o estádio municipal Delmar Sitone.

Atual situação do Sitone

No momento, o Delmar Sitone está sem atividades, uma vez que os jogos do Campeonato Amador da Primeira Divisão estão acontecendo somente no Vermelhão da Serra. Assim, o objetivo do Secretaria Municipal de Turismo Cultura e Desporto, é realizar obras de melhorias no local, utilizando uma verba do governo federal que já foi liberada para o município, mas no momento não pode ser usada devido ao período eleitoral. “Temos uma verba que vamos usar para diversas melhorias no Sitone, como arquibancadas, reforma nos vestiários, gramado e até iluminação, mas no momento não podemos fazer nada até passarem as eleições, mas estamos com o projeto pronto”, disse o secretário municipal de desporto e cultura, César Augusto Azevedo dos Santos.

Sitone para o Gaúcho

O secretário confirmou ainda que a diretoria do Sport Club Gaúcho já teve uma reunião com o poder público para viabilização do estádio municipal para o alviverde. “O Gilmar Rosso (presidente do Gaúcho) já conversou sobre isso com o prefeito Dipp e comigo, e prontamente confirmamos que faremos o possível para colocar o estádio em condições para receber o time”. Apesar de garantir o apoio do município, César ressalta que a falta de tempo hábil pode dificultar o processo para o Gaúcho. “O segundo turno das eleições ocorre dia 31 de outubro, e como disse, só depois disso poderemos usar nas verbas destinadas pelo governo federal. Se pensarmos que teremos que fazer um processo de licitação para só então começarmos os trabalhos, talvez não tenhamos tempo para o inicio da competição (o início da Segundona 2011 deve ocorrer no final do mês de janeiro)”.

A posição do Gaúcho

O presidente do Gaúcho, Gilmar Rosso, falou que a diretoria do clube foi dividida para agir em duas frentes na busca por jogar em Passo Fundo em 2011: uma tenta a viabilização do Wolmar Salton, e a outra trabalha com a possibilidade do Delmar Sitone. “Nossa diretoria trabalha no sentido de termos jogos do Gaúcho aqui em Passo Fundo. O Wolmar Salton depende da justiça, e o Delmar Sitone está sendo tratado pelos membros da diretoria Jorge Rossato, Luciano Rien e Fernando Bernardon”. Rosso disse ainda que, com algumas melhorias o Sitone tem totais condições de receber jogos da Segundona do Rio Grande do Sul. “Tenho certeza que, pelo que vi neste ano, com algumas reformas, e colocação de arquibancada, o Sitone pode receber jogos da Segundona, pois com isso, o estádio só perderia em condições apenas para o Vermelhão da Serra, se compararmos com a maioria dos lugares onde o Gaúcho jogou”, comentou o presidente, que ressaltou que o alviverde estará em campo em 2011. “O plano A é o Wolmar Salton, o B é o Sitone. Se nenhum desses der certo, vamos para o plano C, que é jogar em Marau ou Ernestina. O que garanto é que o Gaúcho estará em campo no ano que vem”, finalizou Gilmar Rosso.

Enquanto isso...

Enquanto concedia a entrevista sobre o Delmar Sitone, Gilmar Rosso recebeu uma série de notificações do Ministério do Trabalho com relação a registros de funcionários num período anterior a 2010, onde indicava que não havia recolhimento de FGTS, férias, e rescisões de contrato de trabalho.

Gostou? Compartilhe