Abner Teixeira avança à semifinal e garante primeira medalha do boxe brasileiro em Tóquio

Bia Ferreira vence na estreia, já Keno Marley é derrotado nas quartas de final em decisão dividida da arbitragem

Por
· 1 min de leitura
 Abner: vitória por unanimidade -Foto-Gaspar Nóbrega/COB Abner: vitória por unanimidade -Foto-Gaspar Nóbrega/COB
Abner: vitória por unanimidade -Foto-Gaspar Nóbrega/COB
Você prefere ouvir essa matéria?

O Brasil tem um novo medalhista olímpico no boxe. Trata-se de Abner Teixeira (91kg), que derrotou nesta sexta-feira o jordaniano Hussein Ishaish, em combate válido pelas quartas de final dos pesos pesados. Com o resultado, o paulista de 24 anos avançou à semifinal e já garantiu, no mínimo, a medalha de bronze, pois não há disputa de terceiro lugar no boxe. Abner volta ao ringue no dia 3 de agosto, às 18h50 (6h50 no horário de Brasília), contra um dos melhores pugilistas da atualidade: o cubano Julio César La Cruz, atual campeão olímpico e tetracampeão mundial. 

Beatriz Ferreira

Pouco antes de Abner, na abertura da sessão noturna, a campeã mundial Beatriz Ferreira (60kg) estreou bem nos Jogos Olímpicos. Vitória por unanimidade contra Shih-Yi Wu (Taipei) e vaga nas quartas de final. Caso volte a vencer, Bia repetirá Abner e terá ao menos a medalha de bronze assegurada. A única derrota do dia veio justamente na primeira luta. Keno Marley (81kg) encarou o britânico Benjamin Whittaker, campeão europeu em 2018 e bronze no Mundial de 2019. Enquanto dois árbitros apontaram vitória do brasileiro por 29 x 28, outros três decidiram pela vitória do adversário, com placar idêntico. 

Gostou? Compartilhe