Vôlei, canoagem, boxe e atletismo garantem classificações na Olimpíada

Rebeca Andrade, Arthur Zanetti e o tênis de mesa encerraram suas participações

Por
· 5 min de leitura
As brasileiras venceram o Quênia por 3 sets a 0 (Foto: Valentyn Ogirenko)As brasileiras venceram o Quênia por 3 sets a 0 (Foto: Valentyn Ogirenko)
As brasileiras venceram o Quênia por 3 sets a 0 (Foto: Valentyn Ogirenko)
Você prefere ouvir essa matéria?

O Brasil não conquistou medalhas no último dia de competições nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O país, no entanto, teve vitórias importantes e garantiu classificações em esportes como vôlei, boxe e canoagem. Na vela, a esperança de medalha das brasileiras Martine Grael e Kahena Kunze foi adiada pela falta de vento.

Vôlei feminino

Invicta na Olimpíada, a seleção brasileira de vôlei feminino venceu nesta segunda-feira (2) o Quênia por 3 sets a 0, com parciais de 25/10, 25/16 e 25/8. A partida foi realizada na Arena de Ariake, na capital Tóquio. Com o triunfo, as brasileiras encerraram a fase de grupos na primeira posição do Grupo A e, consequentemente, avançaram às quartas de final.

Na próxima fase, as brasileiras vão enfrentar o Comitê Olímpico Russo na quarta-feira (4), em horário a ser definido.

Vôlei de praia

Alison e Álvaro Filho serão os representantes do Brasil nas quartas de final do vôlei de praia masculino na Olimpíada de Tóquio. A dupla avançou após vitória sobre os mexicanos Josue Gaxiola e Jose Rubio por 2 sets a 0, com parciais de 21/14 e 21/13, na manhã de hoje, no Parque Shiokaze, na capital japonesa.

Nas quartas de final, às 9h (horário de Brasília) da próxima quarta (4), os brasileiros vão encarar os letões Martins Plavins e Edgars Tocs, que eliminaram a outra dupla brasileira do torneio Bruno Schmidt e Evandro nas oitavas de final por 2 sets a 0 (21/19 e 21/18).

Vela

Medalhistas de ouro na Rio 2016, as brasileiras Martine Grael e Kahena Kunze vão em busca de uma medalha nesta terça-feira (3), à 0h33 (horário de Brasília), na última regata da classe 49er FX. A disputa aconteceria na madrugada de hoje (2), entretanto devido à falta de vento precisou ser adiada. A decisão vai acontecer na Marina de Enoshima, na ilha de Enoshima.

Tênis de mesa

O tênis de mesa do Brasil deu adeus ao sonho da primeira medalha olímpica nos Jogos de Tóquio, ao ser superado pelo trio da Coreia do Sul, em duelo por equipes nas quartas de final, na madrugada de hoje. O trio formado por Vitor Ishiy, Gustavo Tsuboi e Hugo Calderano perdeu por 3 a 0 para os sul-coreanos Lee Sangsu, Jeoung Youngsik e Jang Woojin.

A oitava posição em Tóquio 2020 foi o melhor resultado da história da modalidade no país. Nas duas últimas edições - Jogos de Londres (2012) e Rio 2016 - o tênis de mesa por equipes terminou em nono lugar. Na Olimpíada de Pequim, o país encerrou na 13ª posição.

Ginástica artística

A paulista Rebeca Andrade encerrou nesta segunda-feira sua participação na Olimpíada na quinta colocação da prova do solo na ginástica artística. Ao som de Baile de Favela, a atleta de 22 anos fez uma apresentação bem-sucedida na final, entretanto deu um passo para fora do tablado na primeira acrobacia, o que lhe fez perder um décimo. Rebeca somou 14.033 pontos, ficando atrás em 0.133 das medalhistas de bronze, a japonesa Mai Murakami e Angelina Melnikova, do Comitê Olímpico Russo, que empataram com 14.166 pontos

Rebeca encerra sua participação com duas medalhas: de prata no individual geral e de ouro na prova de salto. As duas medalhas foram as primeiras da ginástica feminina do Brasil em Jogos Olímpicos e, com as conquistas, ela se tornou a primeira brasileira a conquistar duas medalhas em uma mesma edição de Olimpíada.

Já a norte-americana Simone Biles decidiu competir na final da trave de equilíbrio, prova que ocorre na terça-feira (3), o último evento feminino do calendário de ginástica dos Jogos Olímpicos de Tóquio. O anúncio ocorre após a desistência da ginasta da final por equipe feminina da última terça-feira, logo depois do salto de abertura, citando problemas de saúde mental.

No masculino, Arthur Zanetti buscava se tornar o primeiro atleta a ter três medalhas olímpicas nas argolas. Com uma apresentação segura, mas uma falha na aterrissagem, Zanetti somou 14.133 pontos e terminou em oitavo lugar. Apesar de não ter conquistado a medalha dessa vez, o campeão olímpico saiu satisfeito com o resultado.

O ginasta fez boa apresentação, mas errou na aterrisagem (Wander Roberto/COB)

Na outra final masculina do dia, Caio Souza terminou em oitavo no salto. O brasileiro somou 14.466 e 12.900 em seus dois saltos, ficando com uma média de 13.683.

Canoagem

Os baianos Isaquias Queiroz e Jacky Goldman se classificaram para a semifinal da prova C2 1000 metros da canoagem velocidade na Olimpíada. A prova hoje, às 21h44 (horário de Brasília), na baía Sea Forest Waterway, na capital japonesa. Se avançarem disputarão a final na sequência, às 23h46. 

Isaquias Queiroz e Jacky Goldman disputam a semifinal na prova de velocidade - C2 1000m (Foto: Júlio César Guimarães/COB)

Boxe

Nesta Olimpíada de Tóquio, ao menos dois pódios estão assegurados no esporte e há a possibilidade de outros dois que, se ocorrerem, garantem um resultado recorde ao Brasil na modalidade.

Neste domingo (1º), o baiano Herbert Conceição, de 23 anos, derrotou o cazaque Abilkhan Amankul nas quartas de final da categoria 75 quilos e se classificou à semifinal, onde terá pela frente Gleb Bakshi, do Comitê Olímpico Russo, na próxima quinta-feira (5), às 3h18 (horário de Brasília). A vitória foi por decisão dividida, com três juízes dando o triunfo ao brasileiro e dois ao pugilista do Cazaquistão.

Handebol

A Seleção Brasileira feminina de handebol foi derrotada pela França por 29 a 22 e se despediu dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Nesta segunda-feira, dia 2, no Estádio Nacional Yoyogi, a equipe comandada por Jorge Dueñas não resistiu a forte defesa e rápido ataque francês e foi eliminada da competição na primeira fase. A campanha brasileira em Tóquio teve uma vitória, contra a Hungria, um empate com a Rússia, e três derrotas (Espanha, Suécia e França)

Atletismo

Alison dos Santos garantiu uma vaga na final dos 400m com barreira. Largou bem, puxou o ritmo desde o início e completou a distância em 47s31, vencendo sua série e assegurando um lugar entre os oito melhores do mundo logo em sua estreia olímpica.

Somente neste ano, Alison já quebrou o recorde sul-americano da prova em cinco ocasiões. Sua melhor marca até então era 47s34. Tempo que ele superou na semifinal e espera voltar a baixar na final do próximo dia 3, às 12h20 do Japão (0h20 no horário de Brasília).

Alison dos Santos venceu a sua série (Foto: Wander Roberto/COB)


Visto humanitário

Uma atleta da Bielorrússia no cerne de um impasse olímpico com seu próprio país entrou na embaixada da Polônia no Japão nesta segunda-feira, um dia depois de recusar ordem da equipe bielorussa para embarcar em um voo para casa, e recebeu visto humanitário do governo polonês. A velocista Krystsina Tsimanouskaya, de 24 anos, planeja deixar o Japão em direção à Polônia nos próximos dias.

Com informações da Agência Brasil e Comitê Olímpico Brasileiro

Gostou? Compartilhe