Brasil garante quatro medalhas neste final de semana e recorde nas Olímpiadas

São duas finais de boxe, além do vôlei feminino e futebol masculino

Por
· 2 min de leitura
Vitória garantiu a seleção feminina de vôlei na final (Foto: Divulgação/FIVB )Vitória garantiu a seleção feminina de vôlei na final (Foto: Divulgação/FIVB )
Vitória garantiu a seleção feminina de vôlei na final (Foto: Divulgação/FIVB )
Você prefere ouvir essa matéria?

O final dos Jogos Olímpicos de Tóquio se aproxima e o Brasil já garantiu seu melhor resultado nas Olímpiadas. O país participará de duas duas finais de boxe, além do vôlei feminino e futebol masculino, assegurando a prata e buscando o ouro. Desta forma, o Time Brasil já garantiu ao menos 20 medalhas em Tóquio, superando o recorde atual de 19 medalhas no Rio em 2016.

Vôlei

A seleção brasileira de vôlei feminino derrotou a Coreia do Sul por 3 sets a 0, parciais de 25/16, 25/16 e 25/16, e se classificou para a disputa da medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio contra os Estados Unidos. A final acontece na madrugada de domingo, às 1h30 (horário de Brasília).

Pouco antes do jogo, o Brasil perdeu a oposta Tandara, que está fora da Olimpíada após notificação de suposta violação de regra antidoping, de acordo com o Comitê Olímpico do Brasil. Segundo nota da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem, foi constatada a presença da substância proibida ostarina no exame de Tandara.

Futebol

Sábado (7), às 8h30m (horário de Brasília), o país disputa a final contra a Espanha. Na disputa pelo terceiro lugar, o México garantiu a medalha de bronze no torneio olímpico de futebol masculino ao vencer o Japão por 3 a 1 nesta sexta-feira (06).

Boxe

Beatriz Ferreira (60kg) e Hebert Conceição (75kg) chegaram às finais do boxe. Hebert volta ao ringue no sábado (7), às 2h45 (horário de Brasília). Já Bia luta no dia seguinte, às 2h.

Bia garantiu a vitória na semifinal contra a a finlandesa Mira Potkonen (Foto: Miriam Jeske/COB)

 Antes deles, Abner Teixeira (91kg) recebeu o bronze, tendo perdido para o cubano Julio César de La Cruz na semifinal.


Hipismo

O hipismo brasileiro está classificado para a final por equipes do salto. Hoje, o trio formado por Marlon Zanotelli, Pedro Veniss e Rodrigo Pessoa terminou a eliminatória na oitava colocação. Os dez melhores times, entre 19 participantes, habilitaram-se à briga por medalhas, que será amanhã, às 7h (horário de Brasília), novamente no Centro Equestre da capital japonesa.


Saltos ornamentais

O Brasil se classificou para a semifinal dos saltos ornamentais com Kawan Pereira. Na madrugada de hoje, o piauiense, de 22 anos, se classificou em 17º lugar (371.65 pontos) na plataforma de 10 metros, em prova realizada no Centro Aquático de Tóquio. A competição reuniu 29 saltadores e apenas os 18 melhores avançaram à semi, que será disputada no sábado, a partir das às 22h (horário de Brasília). Os 12 melhores colocados brigarão por medalha na final: às 3h de domingo. 

Canoagem

Isaquias Queiroz se classificou de forma direta à semifinal na prova do C1 1000 metros (m) da canoagem de velocidade na Olimpíada de Tóquio (Japão) ao vencer a segunda bateria na 1ª posição, com o tempo de 3min59s894, na noite de ontem, no Canal Sea Forest. A semifinal ocorre hoje à noite, a partir das 21h44 (horário de Brasília).

Já o baiano Jacky Godmann foi eliminado da categoria, após terminar a segunda bateria das quartas de final na 6ª posição.

Marcha atlética

A pernambucana Érica Sena ficou bem perto de realizar o sonho de conquistar uma medalha inédita para o Brasil na marcha atlética na Olimpíada de Tóquio (Japão), na madrugada desta sexta-feira. Na reta final da prova de 20 quilômetros, a brasileira estava em terceiro lugar, o que lhe garantiria o bronze. Entretanto, cometeu uma infração e foi punida com a perda de dois minutos durante os quais teve de ficar parada, restando menos de um quilômetro para completar a prova. A atleta terminou a marcha na 11ª posição, em 1h31mim39s. A competição foi realizada no Parque Sapporo Odori, na cidade de Sapporo.

Covid-19 no Japão

O Japão atingiu a marca de 1 milhão de casos do novo coronavírus (covid-19) nesta sexta-feira, noticiou a mídia local, e as infecções dispararam na sede olímpica de Tóquio e em outras áreas urbanas enquanto o país passa dificuldades para conter a variante Delta.

Gostou? Compartilhe