Pesquisa estima 24,8 mil casos de coronavírus no Estado

Estudo coordenado pela Universidade Federal de Pelotas acendeu um alerta para a situação epidemiológica de Passo Fundo. Na terceira etapa da pesquisa, de 10 casos positivos encontrados pelos pesquisadores em nove municípios gaúchos, quatro eram moradores passo-fundenses

Por
· 4 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Os resultados da terceira etapa de pesquisa sobre a prevalência da Covid-19 no Rio Grande do Sul, divulgados na última quarta-feira (13), indicam que 24.860 pessoas já podem ter sido infectadas pelo coronavírus no Estado. O número seria nove vezes superior ao confirmado nos dados oficiais que, até a tarde de quinta-feira, apontavam a existência de cerca de três mil testes positivos no RS. Durante a terceira fase do estudo, realizada entre os dias 9 e 11 de maio, foram aplicados 4,5 mil testes em nove municípios gaúchos. Destes, 10 apresentaram diagnóstico positivo para Covid-19, sendo quatro deles moradores de Passo Fundo, cidade com o maior número de óbitos por coronavírus em todo o Estado, ao lado de Porto Alegre. O dado emitiu um sinal de alerta para a situação epidemiológica do município, que pode estar se tornando um dos epicentros da doença.

Conforme destacou o reitor da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pedro Hallal, responsável por coordenar a pesquisa, é necessário que as autoridades deem mais atenção para a situação epidemiológica de Passo Fundo. “A probabilidade de que quatro casos em 10, em uma mesma cidade, ocorram por acaso, é de 2%. O resultado de Passo Fundo, somado aos resultados de casos notificados, de mortes e outras informações presentes no modelo de distanciamento controlado, sugerem que a gente tenha um olhar especial para o município”, salientou durante a divulgação dos dados. Além de Passo Fundo, foram registrados casos também em Ijuí (2), Caxias do Sul (1), Pelotas (1), Porto Alegre (1) e Santa Cruz do Sul (1). Completam a lista de cidades onde a pesquisa foi feita Canoas, Santa Maria e Uruguaiana. Juntos, os nove municípios representam 31% da população gaúcha.

De acordo com o governador Eduardo Leite, na avaliação do último fim de semana, Passo Fundo passou da classificação de bandeira vermelha (alto risco) para bandeira laranja (risco médio) “raspando” no limite de cálculo para troca. É que, embora tenha apresentado melhoras em três dos 11 indicadores considerados dentro do modelo de distanciamento social controlado, a disseminação da doença e o número de óbitos continua crescendo no município. Somente nesta semana, foram registradas quatro mortes de moradores passo-fundenses com coronavírus. A mais recente, confirmada nessa quinta-feira, é de um homem de 51 anos. Com os novos dados, o município soma 21 óbitos e 287 casos positivos, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde. Leite não descarta a possibilidade de que, neste sábado (16), quando os dados de todo o Estado devem ser novamente submetidos à avaliação para cálculo das bandeiras, a região de Passo Fundo volte a ser classificada com a cor vermelha. Se isso acontecer, na segunda-feira, o município será obrigado a adotar medidas de distanciamento mais rígidas, o que inclui o fechamento do comércio.

O governador salientou, porém, que apesar da pesquisa da UFPel apresentar dados importantes, o modo como as bandeiras são calculadas não será mudado e que, se Passo Fundo vive uma situação que merece maiores restrições, isso deverá se revelar durante a própria aferição das bandeiras. “Não tenho condições de opinar sobre como o prefeito está lidando com a situação no município, mas é importante salientar que os dados demonstram que, de fato, temos uma situação excepcional em Passo Fundo. Não é só a questão da testagem, mas também dos óbitos. O número de óbitos de Passo Fundo está no mesmo patamar de Porto Alegre, é um dado objetivo, não adianta dizer que está testando mais ou menos. Há um dado de óbitos elevado no município, com episódios de surtos notificados. Essa situação excepcional recomenda muito cuidado e atenção da população”, avaliou durante transmissão ao vivo, na quarta-feira.

Um infectado a cada 454 gaúchos

Os dados da Epicovid19 apontaram um aumento progressivo no número de casos no Rio Grande do Sul, mas em progressão aritmética, e não geométrica – como tem acontecido no Brasil e como foi nos países com os piores cenários. Enquanto a terceira etapa de pesquisa apresentou estimativa de quase 25 mil casos, na fase anterior, há duas semanas, o levantamento apontava para 15 mil infectados. Na primeira, eram 5,6 mil.  “É muito positivo ver que não está acontecendo o movimento exponencial. É uma boa demonstração de controle até aqui no Rio Grande do Sul, o que se associa a outros indicadores, como o movimento das internações hospitalares, que não tem atingido picos”, pontuou o governador.

O fato de a terceira rodada do estudo ter detectado anticorpos em 0,22% do total de pessoas testadas resulta na estimativa de que há um infectado pela Covid-19 a cada 454 gaúchos. “Os casos notificados representam apenas uma parcela do total, confirmando a nossa teoria do iceberg de que existe uma parte visível, representada pelas estatísticas oficiais, e uma parte submersa, que precisa ser conhecida para que sejam tomadas as melhores decisões para o seu enfrentamento”, lembrou o reitor da UFPel.

A pesquisa trouxe, também, a estimativa de letalidade. Se o cálculo for baseado nos casos notificados – 105 óbitos e 2.576 casos confirmados no dia 10 de maio –, a letalidade estimada seria de 4%. Quando o cálculo leva em consideração o total de casos estimado pela pesquisa de prevalência (24.860) e o número de óbitos confirmados (105), a estimativa de letalidade cai para 0,42%. Ou seja, seriam quatro mortes a cada mil infectados por coronavírus. 

Calendário de retomada das atividades em Passo Fundo

A situação de retomada das atividades econômicas em Passo Fundo ainda é incerta. Devido aos novos óbitos e o crescimento no número de casos confirmados, na última quarta-feira, a Prefeitura Municipal decidiu adiar o calendário de retomada em uma série de setores. Por ora, apenas o comércio de rua recebeu autorização para a abertura.

Academias, imobiliárias, escritórios e profissionais liberais, que abririam a partir da última quinta-feira, poderão retomar seu funcionamento nesta segunda-feira (18). A Prefeitura irá divulgar as regras para essas atividades no final da tarde de sábado.  Os restaurantes (à la carte) e a Feira do Produtor poderão voltar a atender o público a partir do dia 25 de maio. Shopping Centers e centros comerciais poderão abrir em Passo Fundo a partir do dia 1 de junho. 

O Executivo reiterou que todas as datas divulgadas dependem da classificação da cidade no plano estadual de distanciamento controlado. Se Passo Fundo voltar para a bandeira vermelha, os setores mencionados deverão ter o funcionamento vedado e, assim, um novo decreto municipal será publicado após anúncio do governo do Estado, na tarde de sábado. 

Gostou? Compartilhe