Agert lança no Piratini seu Relatório Social com tema voltado à violência

Sartori falou que o trabalho e a doação de mídia efetivada pelas emissoras que integram a entidade são de extrema importância

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A Associação Gaúcha de Emissoras de Rádio e Televisão (Agert) lançou na manhã desta terça-feira (26), o 14º Relatório Social da entidade 2018/ano base 2017. A cerimônia, no Galpão Crioulo do Palácio Piratini, com a presença de representantes das emissoras e de diversos segmentos da economia e política do estado, contou com a participação do governador José Ivo Sartori. 

A Agert anunciou que o valor de mídia doada pelas emissoras associadas à entidade no ano que passou,  foi superior a R$ 159 mil, destinados à divulgação de ações sociais. Durante o evento, os dirigentes da Agert ressaltaram o tema da publicação: “A violência e as comunidades”.

Nesta edição, a doação de mídias – que contou com a participação de 249 emissoras do estado – bateu o recorde de verba doada sob forma de divulgação e que teve como foco o combate à violência. Criado em 2004, para dar visibilidade ao papel desempenhado pelas emissoras de rádio e televisão e ao apoio dado às ações sociais, o Relatório Social da Agert foi elogiado pelo governador José Ivo Sartori. 

Para o governador, o trabalho e a doação de mídia efetivada pelas emissoras que integram a entidade em todo o país são de extrema importância e um exemplo de que todos devem contribuir para a melhoria da sociedade em seus diversos aspectos, “pois somente com solidariedade e participação tudo se torna mais fácil e possível”, enfatizou.

Sartori destacou que, mesmo sem o governo investir 1% em mídia no primeiro ano de governo em consequência das dificuldades financeiras,  “a Agert sempre foi nossa parceira na caminhada para construir um novo futuro para o Rio Grande do Sul”. O governador falou do papel social e agregador da Agert, “e acho que a transparência que temos demonstrado nas nossas ações do governo, assim como o diálogo, foram fundamentais para que a parceria que criamos desse bom resultado”, acrescentou. Sartori também considerou importante o tema de combate à violência, enfocado nesta edição.

“Temos investido tudo o que é possível na segurança, uma das maiores reivindicações da população,  chamando mais servidores para a área e entregando viaturas para a capital e interior.  Enfim, estamos fazendo todos os esforços para diminuir a violência, sempre com seriedade e responsabilidade, propósito que foi acolhido pela Agert, motivo que pelo qual agradeço, pois este é um tema que deve ser discutido profundamente – para a construção de uma nova realidade”, observou o governador.  

Segundo Sartori, para uma nova situação no combate à violência, “é fundamental ouvirmos a população e, neste quesito, a atuação da Agert é essencial, pois as emissoras de rádio e televisão chegam a todos os recantos de nossa terra, levando informação e transmitindo os sentimentos de nossa gente”.

Agert
Por sua vez, o presidente da entidade, Roberto Cervo Melão,  disse que o tema do Relatório deste ano teve visou a agregar a contribuição da Agert com os acontecimentos do país e, principalmente do estado.” Melão acrescentou que dados confirmam a diminuição da violência no RS e concordou com o governador Sartori, "de que a prevenção é fundamental para o combate ao problema”. Disse ainda que o Relatório Social da Agert “é o resultado do trabalho de responsabilidade social das emissoras de rádio e televisão associadas”.

A vice-presidente da Agert, Myrna Proença, falou sobre o trabalho desenvolvido pela associação com a mídia doada de R$ 159.821.133,13 e na atuação social da entidade. “Tudo isso significa reafirmarmos os valores e os compromissos da radiodifusão gaúcha, com a construção de uma sociedade mais justa, transparente e solidária”.  Myrna acrescentou que os integrantes da Agert esperam que a publicação se constitua em uma peça editorial "com a referência a temas relacionados à Segurança Pública, se tornando um estímulo ao protagonismo pelo pacto de paz”, afirmou.
Gostou? Compartilhe