Colheita atinge 20% das lavouras no RS

As primeiras áreas colhidas apresentaram rendimento dentro das expectativas, conforme informativo da Emater

Escrito por
,
em
Crédito:

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A colheita da soja se processou de forma bastante intensa nesta última semana, tendo aumentado 11 pontos percentuais, chegando a 20% do total semeado. De acordo com o Informativo Conjuntural divulgado pela Emater/RS-Ascar na quinta-feira (29), as primeiras áreas colhidas vêm apresentando rendimentos dentro das expectativas e variando a cada região analisada. Nas localidades afetadas por falta de chuvas mais abundantes neste final de ciclo, os rendimentos variam entre 35 e 40 sacas/ha (2,1 a 2,4 mil kg/ha). Entretanto, em municípios onde as precipitações não comprometeram o desenvolvimento da cultura, os rendimentos têm ficado em torno de 60 sacas/ha (3,6 mil kg/ha). A média geral para o Estado segue ao redor dos 3 mil kg/ha.


Neste fim de ciclo, há lavouras que apresentam ataque de lagartas. Assim, alguns produtores são forçados a entrar mais uma vez na lavoura para controlar os focos. Naquelas em estádios mais avançados, as lagartas estão atacando as folhas que restam, não conseguindo danificar vagens, o que pelo menos estanca por ora maiores prejuízos. Outro distúrbio verificado nas áreas mais tardias é a presença da ferrugem asiática, o que força os produtores a realizarem mais aplicações de fungicidas do que o esperado.


No milho, a colheita prossegue e alcança 78% da área. Este aumento poderia ser maior não fosse o interesse dos produtores em retirar a soja com mais rapidez, em detrimento da colheita do milho. Mesmo assim o atual índice coloca esta safra bem à frente da média em termos de colheita. As produtividades obtidas até aqui têm surpreendido em alguns casos, pois não são raros os que conseguiram produtividades acima dos 10 mil kg/ha, fato que contrabalança com os eventuais casos de lavouras prejudicadas pelo clima, fazendo com que a média estadual se situe, até aqui, ao redor dos 6 mil kg/ha.


O clima tem favorecido a colheita do arroz em todas as regiões produtoras do Estado, apesar da ocorrência de algumas chuvas durante parte da semana. Na média estadual, o percentual atinge 30% da área cultivada, tendo ainda cerca de 40% da área já pronta para ser colhida, uma vez que as lavouras já completaram sua maturação. As produtividades obtidas até aqui variam entre 7,2 mil kg/ha e 8 mil kg/ha, com alguns casos que ultrapassam o limite superior. A qualidade dos grãos também é considerada boa pelos produtores, que não encontram dificuldades ao comercializá-lo.

Gostou? Compartilhe