Doação do Instituto Floresta de 220 pistolas ajuda a reaparelhar polícia

A parceria com a instituição é com a sociedade gaúcha em prol da Segurança Pública?EUR?, destacou Sartori

Escrito por
,
em
Duzentas e vinte pistolas, modelo Glock G22, foram doadas à corporação

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A Polícia Civil recebeu, nesta sexta-feira (29), um importante reforço visando ao seu reaparelhamento. Duzentas e vinte pistolas, modelo Glock G22, foram doadas à corporação. A ação é mais um fruto da parceria entre a Secretaria da Segurança Pública (SSP) e o Instituto Cultural Floresta (ICF), grupo de empresários de Porto Alegre que, recentemente, doou 46 viaturas à Brigada Militar (CM) e à Polícia Civil (PC). 

 

O ato que oficializou o repasse das armas ocorreu no Salão Alberto Pasqualini do Palácio Piratini e contou com a presença do governador José Ivo Sartori, do secretário da Segurança Pública, Cezar Schirmer. “O que o ICF vem fazendo representa o ponto de partida para uma mudança de cultura e de comportamento. A parceria com a instituição é com a comunidade em prol da Segurança Pública”, destacou Sartori.

 
O valor total investido pelo ICF é de R$ 381,6 mil. Ao todo, serão repassados ao Estado R$ 14 milhões, entre armas, viaturas e outros equipamentos para o uso dos órgãos da Segurança Pública. “Essa ação possui uma característica muito especial, porque nela reside a compreensão absoluta da Constituição, que diz que a Segurança Pública é dever do Estado, mas responsabilidade de todos. Esperamos que, em breve, possamos aprovar uma legislação que fomente ainda mais a participação da sociedade civil nesta luta”, afirmou Schirmer.
De acordo com o ICF, o próximo repasse às forças policiais será a doação de 1,2 mil pistolas Glock G22 e dois ônibus, destinados à BM. Os veículos serão utilizados pelo 1º Batalhão de Operações Especiais (BOE), no transporte da tropa. O presidente do conselho da entidade, Cláudio Goldsztein, reiterou a intenção do grupo em redobrar os esforços para derrubar as barreiras burocráticas, fomentando ainda mais a participação da iniciativa privada na luta contra a violência e a criminalidade. 

“O crime não enfrenta burocracia. Nossa proposta é superar todos os entraves existentes para que possamos estar lado a lado nesta luta. Alterações legislativas, como a que propusemos ao governo estadual, representarão um diferencial, pois garantem agilidade no processo de compra e economia na aquisição dos bens”, enfatizou.
De fabricação austríaca, as pistolas, calibre .40, são consideradas por especialistas um dos mais avançados equipamentos para uso policial. Possuem mira tritium, que permite melhor visualização da arma em condições de pouca ou nenhuma luz - melhorando, assim, a performance do policial. 

O chefe da PC, delegado Emerson Wendt, destacou o empenho do secretário Cezar Schirmer e do ICF para que as polícias tenham mais capacidade de resposta. “Temos armamentos cada vez mais modernos e especializados, o que reflete positivamente na nossa produtividade operacional. Estas pistolas, em especial, são um anseio antigo de todos na instituição”, salientou.
 
Cada kit doado à PC é composto por uma arma e quatro carregadores. De acordo com o responsável pelo Serviço de Armamento e Munição da Academia da Polícia Civil (Acadepol), comissário Cesar Augusto de Moraes Salvador, a vantagem das Glock reside em características como ergonomia, boa distribuição de peso, porte e tamanho de cano, considerados ideais para a função policial. “O trabalho do recuo também é bem assimilável. Normalmente uma arma normal recua para cima; nesta, o recuo é para trás, o que facilita a mira. É uma arma muito boa”, assegurou.
Gostou? Compartilhe