Exército escolta caminhões-tanque com combustíveis

Militares saíram do polo petrolífero de Passo Fundo. Ação é desencadeada pelos órgãos de segurança em parceria com o governo do Estado, por meio do Gabinete de Crise

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

No nono dia de paralisação, enquanto ainda há protestos espalhados pelas rodovias da região, os órgãos de segurança pública intensificam as escoltas aos caminhões que realizam o transporte de combustíveis, gás de cozinha, alimentos, rações para animais, produtos químicos e insumos para a área da saúde. Em Passo Fundo, na manhã de ontem (29), homens do exército escoltaram caminhões-tanque do polo petrolífero em direção aos municípios da região. O transporte está sendo organizado pelo Gabinete de Crise do governo do Rio Grande do Sul. Segundo último balanço, divulgado no fim da tarde de ontem, 240 escoltas haviam sido feitas até o momento, em quase 200 postos de combustíveis em todo o Estado.

No caso dos combustíveis, a escolha de quais postos serão abastecidos não é do Gabinete de Crise. O grupo tem feito reuniões diárias com representantes dos postos e das distribuidoras de combustíveis, que decidem conforme suas necessidades e disponibilidade de motoristas, por exemplo. O Gabinete de Crise foi instituído pelo governador José Ivo Sartori na última semana e ficou reunido durante todo o fim de semana. Foi criado para monitorar e buscar soluções diante da greve dos caminhoneiros. Funciona na sede do Centro de Informações do Departamento de Comando e Controle Integrado (DCCI), da Secretaria da Segurança Pública. O trabalho é coordenado pelo vice-governador José Paulo Cairoli e pelo coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel Alexandre Martins. Tem representantes de diversas secretarias e órgãos estaduais, que repassam constantemente as principais demandas de cada área (Saúde, Educação, Agricultura, Segurança Pública e Transportes).

Estoque de combustível

Passo Fundo começou a sentir o desabastecimento de combustíveis em alguns postos. Isso porque os caminhões, que estavam realizando o transporte do terminal de Passo Fundo para os estabelecimentos, foram solicitados pela Defesa Civil para transportar combustíveis para os municípios em situação de emergência na região. A informação foi repassada pelo proprietário de um posto, Itamar Simões da Costa, cujo estoque de gasolina estava baixo na tarde de ontem.

Simões da Costa informou que com a reserva que tinha nas bombas, a gasolina seria suficiente apenas até a noite de ontem. O proprietário informou que aguardava com incerteza pela nova remessa. A situação é semelhante em outros postos também, que já chegaram a reduzir a carga horária dos funcionários. A Rede Sim está sem gasolina nos oito estabelecimentos que possui no município. Em um dos postos, a última remessa foi recebida na madrugada de sábado (26) com escolta e não havia previsão de nova carga. Também há postos com combustíveis em Passo Fundo, porém, os representantes não informaram se haverá gasolina e diesel para os próximos dias.

De acordo com Simões da Costa, circula entre o setor a informação de que das três distribuidoras (Shell, Ipiranga e BR Petrobras) de combustível, apenas duas ainda possuem estoque polo petrolífero de Passo Fundo. A reportagem tentou contato com a coordenação do polo para obter informações sobre o estoque e prioridades de abastecimento, mas foi informada de que “o esforço do grupo operacional está pesado e focado em normalizar as operações”.

A Plural e a Federação Brasilcom, entidades que reúnem as principais distribuidoras de combustíveis do Brasil, por meio de suas associadas, emitiram comunicado ontem (29). As associações dizem estar trabalhando arduamente desde o início da greve para restabelecer o abastecimento de combustíveis em todo o Brasil. “Todas as associadas à Plural e à Federação Brasilcom estão com salas de crise operando 24 horas por dia para encontrar meios de circular com os caminhões-tanque. Graças a esses esforços, a distribuição caminha para a normalidade em algumas regiões do Brasil, sobretudo em Estados do Norte e do Nordeste”, dizia a nota.

Sem combustível na região

A falta de combustível nos municípios da região também fez com que os consumidores viessem a Passo Fundo nos últimos dias. No posto de Itamar Simões da Costa, a procura aumentou 20%. “Muitas pessoas, que tem consulta marcada em Passo Fundo, ou precisam de outro serviço, nos ligam para pedir se aqui tem gasolina para poder voltar depois”, contextualiza.

Municípios como Tapejara e Sananduva estão sem combustíveis. Em Carazinho não há combustível desde semana passada. Em alguns locais, a gasolina e o diesel começaram a faltar ainda na quarta-feira (23). Os estabelecimentos estão sem previsão de receber o produto. Em Marau também não há mais combustíveis nos postos. A gasolina e o diesel acabaram nesta semana, bem como o gás de cozinha que está em falta desde ontem (29). Em Soledade, um caminhão chegou ontem e abasteceu os estabelecimentos, mas o combustível acabou rapidamente.

Gostou? Compartilhe