Municípios terão mais autonomia e agilidade nos processos

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Uma antiga reivindicação da Famurs foi atendida pelo governo federal. A atualização da Lei de Licitações (Lei nº 8.666/93) altera os valores das modalidades de licitação em 120% em relação aos patamares praticados atualmente. O decreto nº 9.412/18, publicado nesta segunda-feira (18/6), aumenta os valores passíveis de dispensa de licitação para a administração pública, e irá vigorar no dia 18 de julho de 2018. Segundo o presidente da Famurs e prefeito de Rio dos Índios, Salmo Dias de Oliveira, a medida é um avanço que trará mais autonomia e agilidade aos municípios. “Em determinadas situações, o processo licitatório causa um dano maior do que a eventual economia. Se uma máquina precisa ficar parada por dez dias para fazer um reparo, cumprindo o prazo de licitação, ocorre um prejuízo maior do que se ela estivesse trabalhando. Essa medida irá desburocratizar o serviço público”, analisa.


Os limites da legislação encontravam-se congelados há mais de 20 anos, tornando os valores defasados. Com isso, os prefeitos se viam obrigados a licitar produtos e serviços com baixos valores, engessando a administração. A Famurs defende a atualização da Lei de Licitações desde a criação da legislação, pois não há um indexador para que os valores sejam atualizados conforme o aumento da prática de preços. O decreto foi publicado pelo presidente Temer, se valendo do artigo 120 da legislação, que estabelece a possibilidade de revisão anual dos valores pelo Poder Executivo Federal. Até então, o governo federal nunca havia tomado essa medida e existem diversos projetos de lei tramitando no Congresso que falam sobre o tema.


Com a nova legislação, os gestores poderão dispensar licitações para compras e serviços até R$ 17,6 mil e para contratação de obras e serviços de engenharia que atinjam o valor máximo de R$ 33 mil. Os valores praticados anteriormente eram de R$ 8 mil e R$ 15 mil, respectivamente. A assessora jurídica da Famurs, Elisângela Hesse, alerta que “a expansão nas dispensas de licitação, por conta do aumento do valor, deve observar sempre a eficiência e a legalidade disposta na Lei nº 8.666/93, a fim de evitar apontamentos”.

Consórcio Famurs
A Famurs criou um Consórcio Estadual para auxiliar as prefeituras nos processos licitatórios, gerando economia, ganhos em escala e benefícios para as prefeituras, através da compra coletiva de bens e serviços. A ferramenta possibilitará a realização de licitações compartilhadas entre os municípios, excluindo apenas medicamentos e serviços de saúde. Aquisição de pneus, veículos de passeio e utilitários, motoniveladoras e caminhões basculantes, material de expediente, computadores e sistemas de informações são alguns dos exemplos das compras coletivas que podem ser feitas.

Gostou? Compartilhe