Epicovid19-RS: Prevalência do coronavírus dobrou no estado

Passo Fundo é a cidade com mais pessoas que relatam sair diariamente de casa

Por
· 1 min de leitura
O anúncio foi realizado pela coordenadora do Comitê de Dados, Leany Lemos, e o professor Fernando Barros (Imagem: caputura de tela)O anúncio foi realizado pela coordenadora do Comitê de Dados, Leany Lemos, e o professor Fernando Barros (Imagem: caputura de tela)
O anúncio foi realizado pela coordenadora do Comitê de Dados, Leany Lemos, e o professor Fernando Barros (Imagem: caputura de tela)

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Os resultados da sexta rodada de testes rápidos da pesquisa sobre a prevalência da Covid-19 no Rio Grande do Sul foram divulgados nesta tarde (29) em transmissão ao vivo. A pesquisa, coordenada pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), estimou que 0,96% da população do estado tem anticorpos do novo coronavírus. Assim, 108.716 gaúchos teriam anticorpos do vírus. A prevalência dobrou entre a fase 5 e 6. A cada 100 casos notificados, o estado tem outro caso não notificado.

Em cada uma das nove cidades do estado que participam da pesquisa 500 pessoas foram testadas, totalizando 4500 testes no estado. A pesquisa encontrou 43 casos positivos, 7 deles em Passo Fundo. A cidade é a terceira do estado com mais casos na pesquisa e apresenta uma prevalência de 1,4%. O professor Fernando Barros da UFPel chamou a atenção para o distanciamento na cidade. Passo Fundo é a cidade com mais pessoas que relataram sair diariamente de casa, com 45% dos entrevistados. Além disso, 42,6% dos entrevistados dizem sair para atividade essenciais e 12,4% ficam em casa o tempo todo. “Mudou o perfil de distanciamento social, do início de abril até essa fase aqui de julho. Ao mesmo tempo que nós estamos notando e inclusive documentando um aumento progressivo das infecções”, afirmou o professor Barros.

Casos positivos encontrados no estado (Foto: captura de tela)

A letalidade oficial do estado é de 2,6%, no entanto a pesquisa estima que a letalidade seja menor, de 1,4%. O estudo também elencou os principais sintomas da doença: febre, dor de garganta, tosse, alteração olfato/paladar, diarreia e dificuldade para respirar. O último sintoma apareceu para apenas 9,3% dos pacientes.

Na conclusão, a pesquisa recomenda a ampliação da testagem PCR e da busca ativa, além do reforço das medidas de distanciamento social, especialmente em Porto Alegre, região metropolitana e Passo Fundo.

O professor Fernando Barros finalizou a apresentação destacando a importância do distanciamento social. “É necessário que essas medidas não farmacológicas de distanciamento sejam realizadas, uma vez que nós não temos nenhuma medida farmacológica. Então, qualquer tipo de terapia preventiva é falsa, não existe nenhuma informação de nenhuma medicação que possa funcionar”, destacou o epidemiologista.

Notícia atualizada às 15h14


Gostou? Compartilhe