Freio de Ouro registra público recorde e bicampeonato na categoria macho

O Freio de Ouro aconteceu neste domingo

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Freio de Ouro 2018 provou novamente ser um dos eventos mais representativos da Expointer e que atrai recordes de público. A paixão pelo cavalo crioulo, estrela maior da festa e símbolo do Rio Grande do Sul, ficou demonstrada neste domingo (26). Mais de 25 mil pessoas não somente do estado, mas de outros países, e muitos criadores, estavam desde o início da tarde na pista à espera do início da prova. E foram embora apenas depois da premiação dos vencedores.

 

O dia lindo e de muito sol contribuiu para que todos os espaços fossem ocupados, fazendo com que centenas de pessoas tivessem que assistir à disputa em pé. Bastante acirrada, a prova do Freio de Ouro 2018 ficou caracterizada pela destreza e habilidade de seus ginetes, consagrando vencedores Daniel Teixeira, na categoria fêmea, e Cézar Augusto Schell Freire, no naipe macho, em que conquistou o bicampeonato.

 

O cavalo crioulo provou que, além de ser a paixão dos criadores gaúchos e de países como Uruguai, Argentina, Paraguai e também de outros estados é a estrela maior da Expointer. Desde o meio-dia, as pessoas já começavam a ocupar as arquibancadas da pista onde é realizada a prova a fim de garantir seus lugares. Famílias inteiras, vindas do interior do estado, principalmente, mas também da capital e região metropolitana e de países vizinhos, lotaram todos os lugares. Qualquer dúvida em relação à importância da prova do Freio de Ouro foi totalmente desfeita. O público se emocionou e torceu do início ao fim. O que comprova que o Freio de Ouro tornou-se uma importante ferramenta de seleção e otimização da raça, tanto morfológica quanto funcionalmente.

 

Apesar de ser o vencedor do Freio de Ouro pela terceira vez, o ginete Daniel Teixeira, da Cabanha Espigão, de Canoinhas (Santa Catarina), estava bastante emocionado ao lado da égua Independência do Espigão. Trabalhando desde muito jovem com cavalos, ele disse ao receber seu prêmio, “que a vitória de hoje teve um sabor diferente, pois foi uma disputa muito acirrada, com excelentes competidores e animais de qualidade.” Também o vencedor da categoria macho, Cézar Augusto Schell Freire, destacou a qualidade do Freio de Ouro 2018.

 

Por sua vez, pela primeira vez na história do Freio de Ouro, um exemplar da categoria dos machos conquistou o bicampeonato da competição. JA Libertador já havia alcançado o título em 2015. O exemplar do Condomínio JA Libertador, formado pelos estabelecimentos HG, SNC, Solofino, Tamareira, Santa Larissa e Serrana, foi guiado pelo ginete Cézar Augusto Freire (Guto Freire).

Gostou? Compartilhe