Greve do magistério a partir de segunda-feira

Professores decidiram paralisar por tempo indeterminado

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Na tarde desta sexta-feira, professores ligados ao Cpers/Sindicato decidiram, em assembleia, paralisar as atividades por tempo indeterminado. A greve começa já na segunda-feira, dia 26 e, segundo os professores, só deve ser suspensa com a retomada das negociações salariais.

Estado afirma que está aberto as negociações

Nesta sexta-feira, o Goverdo do Estado emitiiu uma nota afirmando que está aberto a diálogo com os professores. Segundo o documento, uma nova audiência havia sido proposta, mas, a resposta da direção sindical teria sido o "silêncio". Leia a nota:

"As declarações do CPERS de que o Governo do Estado não respondeu à pauta apresentada pelo sindicato não são verdadeiras. O documento entregue à direção do CPERS, no dia 15 de agosto de 2013, respondeu detalhadamente a cada um dos 27 itens apresentados. 

Na reunião ocorrida no dia 19 de agosto, com o pedido de maior objetividade às respostas, o secretário de Estado da Educação, Jose Clovis de Azevedo, propôs outra audiência de negociação com a presença, inclusive, de secretários de outras pastas já que a pauta extrapola questões da educação. 

Diante do silêncio da direção sindical para a continuidade das negociações, ficam em suspenso todos os avanços propostos como, por exemplo, as promoções de 2003-2012, o abono de faltas relativo a atividades sindicais entre 2008-2010 e a exclusão de servidores que atuam em escolas, no plano de carreira. 

O Governo conclama os trabalhadores em educação para a manutenção do diálogo, instrumento capaz de garantir avanços à categoria".

Gostou? Compartilhe