RS receberá mais de 3,8 milhões doses da vacina contra a gripe

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), o Estado receberá mais de 3,8 milhões de doses para a imunização, o que representa um aumento de 700 mil doses em comparação com o ano de 2013.

Por
· 2 min de leitura
Crianças de até cinco anos e doentes crônicos tiveram aumento nas doses disponíveis

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) está preparando a Campanha de Vacinação Contra a Gripe deste ano, que será realizada entre os dias 22 e 09 de abril. Uma das novidades é o aumento do número de doses disponíveis para a vacinação no Rio Grande do Sul. De acordo com o Ministério da Saúde (MS), o Estado receberá mais de 3,8 milhões de doses para a imunização, o que representa um aumento de 700 mil doses em comparação com o ano de 2013. A data para mobilização nacional, o Dia D, está marcada para 26 de abril, sábado, quando os postos de vacinação abrem excepcionalmente.

O acréscimo nas doses acontece em função da ampliação na faixa etária das crianças, que agora passa a ser até menores de cinco anos, e uma parcela maior destinada às pessoas com doenças crônicas. Somadas as cerca de 206 mil crianças entre os seis meses e dois anos de idade, a campanha deste ano terá como público-alvo outras 387 mil com mais de dois anos e menos de cinco.

“Com a ampliação dessa faixa etária aumentamos a proteção à população e a expectativa de reduzir o número de casos e de óbitos”, declarou a secretária estadual da Saúde, Sandra Fagundes. A titular da SES reforça que além da imunização e do tratamento oferecido à população, através do antiviral Oseltamivir, é importante lembrar que medidas preventivas são essenciais, pois diminuem a circulação do vírus e, consequentemente, o número de casos da doença.

Além das crianças, serão vacinadas as pessoas acima dos 60 anos, gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias depois do parto) e pessoas com doenças crônicas (respiratórias, cardíacas, renais, imunodeprimidos, entre outros). Além destes grupos, os indígenas também recebem as doses, diretamente nas aldeias; os profissionais de saúde se vacinam nos próprios locais de trabalho; assim como a população privada de liberdade, devido aos altos índices de doenças respiratórias. Os grupos prioritários são escolhidos levando em conta as pessoas com mais chances de desenvolver complicações a partir da gripe.

Rio Grande do Sul
No RS, cerca de 3,5 milhões de pessoas integram os grupos prioritários, onde a meta preconizada pelo Ministério da Saúde é a cobertura de 80% da população desses grupos, o que totaliza mais de 2,8 milhões de pessoas. Para os doentes crônicos, serão destinadas mais de 1,19 milhões de doses.

População a ser vacinada:

·  Crianças maiores de 6 meses e menores de 2 anos: 206 mil

·  Crianças maiores de 2 e menores de 5 anos: 387 mil

·  Pessoas acima dos 60 anos: 1,4 milhão

·  Gestantes: 103 mil

·  Puérperas: 17 mil

·  Indígenas aldeados: 21 mil

·  Doentes crônicos: 1,2 milhão

A vacina protege contra os três tipos de vírus influenza: influenza A H1N1, influenza A H3N2 e influenza B, pelo período de um ano. Em 2013, foram vacinadas 3 milhões de pessoas, dos quais 926 mil eram doentes crônicos.

Integram os grupos de risco: crianças de seis meses a menores de cinco anos, pessoas com 60 anos ou mais, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores de saúde, povos indígenas, população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional. Portadores de doenças crônicas não-transmissíveis ou com condições clínicas especiais também devem se vacinar. Todavia, conforme o MS, para esse grupo não há meta específica de vacinação.

Gostou? Compartilhe