Secretaria da Agricultura aumenta vigilância sobre nuvem de gafanhotos vinda da Argentina

Medida se deve ao calor que deve chegar ao Estado

Por
· 1 min de leitura
A nuvem de gafanhotos está em Corrientes, na Argentina, a 130 quilômetros de Barra do Quaraí (Foto: Divulgação/Seapdr)

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Com as temperaturas mais altas que devem chegar ao Rio Grande do Sul neste sábado (18) e domingo (19), fiscais agropecuários da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) de municípios da fronteira oeste e noroeste do Estado aumentam a vigilância sobre a possível entrada da nuvem de gafanhotos vinda da Argentina. “Com essa condição climática, precisamos estar preparados”, alerta o chefe da Divisão de Defesa Sanitária Vegetal da Seapdr, Ricardo Felicetti.

O engenheiro agrônomo destaca a preocupação com a nuvem de gafanhotos que está em Corrientes, na Argentina, a 130 quilômetros do município gaúcho de Barra do Quaraí. “Com a elevação das temperaturas neste final de semana, estamos apreensivos, mas preparados para o caso de uma eventual ocorrência da praga em território gaúcho. Temos um plano operacional de emergência”.

Segundo ele, houve reunião para tratar de questões operacionais nesse sentido nesta sexta-feira (17) com representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), do Ibama, da Secretaria do Meio Ambiente e Infraestrutura do RS (Sema) e da Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luis Roessler (Fepam). “Falamos também sobre a questão dos recursos emergenciais para trabalhar a supressão dos surtos de gafanhotos”.

Felicetti informa que os produtores rurais devem ficar atentos aos possíveis surtos dos insetos e comunicar sua presença imediatamente à inspetoria de defesa agropecuária da Seapdr, ou ao escritório municipal da Emater/RS-Ascar mais próximo.

Gostou? Compartilhe