Presidente do Tribunal de Justiça assume o cargo de governador do RS

José Aquino Flôres de Camargo tomou posse como governador do Estado

Por
· 1 min de leitura
Desembargador José Aquino Flôres de Camargo tomou posse como governador do Estado nesta segunda-feira

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-RS), desembargador José Aquino Flôres de Camargo, tomou posse como governador do Estado nesta segunda-feira (15). A solenidade de transmissão de cargo aconteceu no Gabinete do Governador no Palácio Piratini. Tarso Genro teve o pedido de afastamento não remunerado aprovado pela Assembleia Legislativa e fica licenciado até o dia 5 de outubro.

O magistrado José Aquino Flôres de Camargo assumiu o cargo de governador durante o período de licença de Tarso Genro e do vice-governador Beto Grill. Pela linha sucessória, o vice-governador e o presidente da Assembleia Legislativa optaram por não assumir o Estado porque também concorrem a cargos eletivos.

“Neste contexto de transitoriedade, somos conscientes do dever de dar curso à regularidade da vida institucional, certos da lealdade e transparência que sempre pautaram as nossas relações com a atual equipe de governo”, declarou o governador em exercício José Aquino Flôres de Camargo.

A licença de Tarso vai até o dia 5 de outubro, quando ocorre a eleição para o primeiro turno. No caso de eventual segundo turno, pode ser prorrogada até 26 de outubro. Durante o período, a presidência do Tribunal de Justiça será assumida pelo primeiro vice-presidente, desembargador Luiz Felipe Silveira Difini.

“O senhor é um presidente respeitado, um juiz de primeira linha que orgulha o Poder Judiciário gaúcho. Eu acompanho a sua trajetória no Judiciário, como advogado que sou, e sei que o Governo do Estado estará em excelentes mãos. Se eu tivesse qualquer dúvida a respeito disso eu não me licenciaria”, afirmou Tarso.

O pedido de afastamento não remunerado foi aprovado pela Assembleia Legislativa em sessão na última terça-feira (9). Sendo assim, Tarso Genro transmitiu o cargo de acordo com o disposto da Constituição Estadual e conforme licença concedida por meio do decreto legislativo número 11.187, de 9 de setembro de 2014.

Gostou? Compartilhe