Estado obtém liminar no STF em ação da dívida com a União

Governador considera a liminar uma vitória para o Estado

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A Procuradoria-Geral do Estado do Rio Grande do Sul teve deferida, nesta segunda-feira (11), liminar no mandado de segurança nº 34110 impetrado junto ao Supremo Tribunal Federal, na sexta-feira (8), questionando a cobrança da dívida do Estado com a União.

Pela decisão do relator, ministro Edson Fachin, até o julgamento do mérito, o governo do Estado está autorizado a realizar o pagamento da dívida com a União calculada por juros não capitalizados, em cumprimento à Lei Complementar nº 148/2014, que trata do refinanciamento do débito, bem como determinou a abstenção, pela União, da imposição de sanções por descumprimento do contrato. A decisão vale a partir desta segunda-feira (11).

O governador, José Ivo Sartori, manifestou-se e considerou a liminar como uma vitória para o Estado: “Esta liminar nos concede a possibilidade de não pagar a dívida com a União todos os meses. Ela não resolve todos os nossos problemas, mas nossa obrigação era sempre estar lutando para defender os interesses do Rio Grande do Sul. É uma vitória parcial. A partir de agora, o que valerá são os juros simples e esperamos que a liminar permaneça durante bastante tempo, o que nos daria um pouco mais de tranquilidade. Mas, quero deixar o alerta de que isto não resolve todos os problemas financeiros do RS, é mais um alívio, assim como a renegociação da dívida representa alívio, mas não resolve todos os problemas”, declara. 

 

 

Gostou? Compartilhe