Medicamento anti HIV está disponível em 11 municípios gaúchos

Medicamento para a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP), usado para prevenção ao HIV, pode ser encontrado em mais 11 municípios do RS

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O medicamento para a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP), usado para prevenção ao HIV, pode ser encontrado em mais 11 municípios do Rio Grande do Sul neste ano. Além de Porto Alegre, o tratamento já está disponível em Caxias do Sul, Gravataí, Lajeado, Novo Hamburgo, Rio Grande, Santa Rosa, São Leopoldo e Sapucaia do Sul. As cidades de Canoas, Pelotas e Viamão serão as próximas a oferecer.

 

Veja AQUI onde encontrar o medicamento

 

A PrEP faz parte da estratégia de prevenção ao HIV. O medicamento é enviado pelo Ministério da Saúde ao Estado desde janeiro de 2018. A prescrição faz parte de um programa que envolve vínculo e acompanhamento clínico por parte de uma equipe de saúde do município. O medicamento não dispensa o uso de preservativos, já que não previne as Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).

 

A coordenadora da Política de IST/Aids da Secretaria da Saúde, Ana Lúcia Baggio, ressalta que o medicamento deve ser tomado diariamente. “O uso correto reduz o risco de infecção por HIV em mais de 90%”, relata. Ana Lúcia informa que hoje mais de 600 pessoas estão cadastradas no estado para receber o medicamento. “Quem se considera em situação sexual de risco deve procurar diretamente o serviço, ou agendar por telefone”, acrescenta.

 

Após o cadastro, é feita a avaliação com testagem e aconselhamento para orientação sobre o uso ou não do medicamento. Existem casos em que só podem ser utilizadas outras estratégias para prevenção, variando conforme as condições clínicas de cada pessoa.

 

O Rio Grande do Sul foi o primeiro estado no país a fornecer o medicamento. Inicialmente estavam disponíveis tratamentos para 86 usuários nos serviços da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre e no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) do Hospital Sanatório Partenon, vinculado à Secretaria da Saúde.

 

Nos últimos anos, o RS figura sistematicamente entre os primeiros estados do Brasil em casos de Aids, com taxas de detecção do HIV muito superiores à média nacional. “Estamos no terceiro lugar em casos de Aids no Brasil”, declara a coordenadora. Baggio diz que a taxa de detecção de Aids em 2017 no Rio Grande do Sul foi de 29,4 casos a cada 100 mil habitantes. “Mesmo com uma redução de 36,2% entre os anos de 2007 e 2017, o RS ainda apresenta uma taxa superior à do Brasil, que é de 18,3 casos por 100 mil habitantes”, informa.

Gostou? Compartilhe